sexta-feira, 1 de setembro de 2017

MERENDA ESTRAGADA É SERVIDA EM ESCOLAS DE SALINÓPOLIS


Paulo Jordão
Professores e merendeiras da escola Tiradentes, da rede pública do município de Salinópolis, no litoral paraense, tiveram de socorrer alunos que apresentaram diarreia e vômito nesta última quinta-feira (31), após consumirem iogurte servido na merenda escolar.

De acordo com o vereador Rocha Neto, que é professor da rede pública, a vigilância sanitária foi acionada para identificar o foco de contaminação, pois o fato também foi registrado em outras escolas municipais e na Creche da Amizade. 

Avisada, a gerência do setor de merenda escolar não soube explicar o que aconteceu. A suspeita inicial é de houve problema de armazenamento no galpão da Prefeitura de Salinas.

Mãe de alunos da rede municipal, Rosália Nunes informou ao vereador que seus filhos jogaram fora o iogurte quando perceberam que estava estragado. “Teve criança que foi parar no hospital para tomar soro por causa do iogurte”, afirmou o vereador.

Outra mãe de uma aluna da escola Tiradentes, Neyde Santos, questionou a atuação da imprensa, por não divulgar o fato. “Cadê o pessoal das redes de televisão? Nessas horas não aparecem, só estão preocupados em apresentar seus candidatos nas próximas eleições, e isso, que é uma coisa séria, não falam nada”, criticou. 

Segundo o morador Rodrigo Couri, “os anos se passam, mas o desrespeito com os alunos continuam os mesmos nas gestões Gomes, tanto pai quanto filho”. O atual prefeito, Paulo Henrique Gomes (PSDB), é filho do ex-prefeito Di Gomes. 

A representante da empresa que fornece iogurte para a Prefeitura de Salinópolis, Sandy Kamila, garantiu que o produto foi entregue em perfeito estado e ótima qualidade. Segundo ela, é necessária uma fiscalização, pois a empresa não tem responsabilidade sobre a qualidade após a entrega.

Rocha Neto decidiu também fazer a denúncia através das redes sociais. Ontem ele postou a denúncia no Facebook: 

“Merenda escolar estragada foi entregue quinta-feira (31) em algumas escolas no nosso município. Na escola Tiradentes, os alunos após a ingestão dessa merenda de "qualidade", passaram a vomitar e a apresentar diarreia. 

A vigilância sanitária foi acionada, mas nada foi feito ainda para reverter a situação identificada pelos professores e merendeiras. Avisado também foi o chefe do setor de merenda, que também não soube explicar o acontecido. 

Segundo professores e merendeiras, o chefe do setor de merenda justificou dizendo que o problema foi de armazenamento no galpão da Prefeitura Municipal de Salinópolis. Alô setor de vigilância sanitária do Estado, está na hora de uma visita ao setor de armazenamento do município.”




Logo após a postagem ocorreram 49 compartilhamentos e 66 comentários de pessoas narrando problemas idênticos com o iogurte em outras escolas e até em uma creche. A maioria pedindo providência ao Ministério Público do Estado, que ainda não se manifestou sobre o caso. Alguns pais de alunos prometeram registrar Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia local.

Um comentário:

  1. Isso é comum em escolas públicas de nosso Estado. O problema não vem à tona porque às diretoras têm medo de represálias por parte da SEDUC.

    ResponderExcluir