VER-O-FATO: MAIS UMA EXTORSÃO DO “WLAD”

sábado, 9 de setembro de 2017

MAIS UMA EXTORSÃO DO “WLAD”


As condições degradantes em que vive a senhora acima, ocupante do barraco no terreno baldio




Ismael Moraes – advogado socioambiental

Sou advogado militante, e só vivo da advocacia privada.

Prestando serviço profissional, representei dois empresários na compra de um terreno, cujo vendedor é um cidadão titular de uma Carta de Adjudicação da 5ª Vara Cível de Belém que lhe confere a propriedade desse bem. Após analisar minuciosamente o processo e não encontrar qualquer vício, orientei pela compra, e assumi a finalização do negócio, por meio de procuração.

O imóvel é um terreno baldio, com muito lixo. Com a transferência para o nome do cliente, a Prefeitura poderia multá-lo. A limpeza necessária iria começar no dia 7 de setembro. Mas nessa manhã o nacional Pedro Jorge da Costa Lima (o baixinho careca muito presente na filmagem), assessor do deputado Wladimir Costa, abordou o encarregado do serviço e disse que tudo deveria parar até falar com o patrão dele. 

Foi atendido, e, utilizando o celular do encarregado, disse, sem meias palavras, que o deputado Wladimir Costa queria aquele terreno, e que uma família iria “documentar” para ele. Finalizou afirmando: para que permitisse a limpeza e a posse, meu cliente deveria pagar ao deputado Wladimir Costa o valor de R$ 500.000,00. 

O cliente, assustado, respondeu que iria falar com o advogado, mas não retornou a chamada, após eu afirmar que jamais deveria ceder àquilo. No dia seguinte, logo cedo pela manhã, fui ao terreno, encontrando um senhor de idade (justamente o que o deputado usa no teatro) e mais uns homens e uma mulher. Mostrei-lhes os documentos e então todos decidimos ir para a DIOE, delegacia especializada em conflitos possessórios. 

Estando ali eu, os pretensos donos acompanhados de 2 (dois) advogados e a Autoridade Policial, Delegado de Polícia Civil Neyvaldo Costa, chegou-se ao entendimento que a limpeza seria feita, e que, após vistoria de agentes daquela especializada, em havendo alguém morando num barraco que se encontra lá, ele não seria removido, até que a Autoridade Judicial acerca dele se pronunciasse. Então, após nos cumprimentarmos civilizadamente, todos nos deslocamos para o local, cada qual no seu carro, e os agentes da DIOE no automóvel oficial da delegacia.

Esperava a chegada do veículo policial, até ver o advogado da parte contrária, quando sai do meu carro e o convidei para nos dirigirmos ao barraco e logo verificarmos se lá havia alguém. Após andar uns 40 metros, fui cercado pelo deputado federal Wladimir Costa e por vários outros elementos, bem coordenados, alguns bloqueando minha passagem e outros posicionando uns 3 (três) celulares para filmarem todos os ângulos em que eu estava. 

Enquanto a filmagem não começava, fui ameaçado de espancamento ao mesmo tempo em que diziam: “É isso é o que acontece quando não se paga o Wlad!”. Nisso, tentei retornar imediatamente para o carro, sempre com o bloqueio daquele assessor que fez a extorsão e do próprio deputado federal Wladimir Costa, que passou a desferir uma gritaria tresloucada, acusando-me de querer “roubar” a propriedade de um velho, desafiando-me a “debater” questões jurídicas com ele, mas criando um grave constrangimento pessoal.

Fiquei sabendo depois que boa parte dos delinquentes que me cercava ou filmava, como o referido assessor Pedro Jorge da Costa Lima, participa dos crimes do deputado federal Wladimir Costa, e responde na Justiça a diversas acusações de desvio de recursos públicos destinados à educação e à saúde do povo paraense.

Apesar de não ter conta no Facebook, fiquei sabendo da grande quantidade de montagens ofensivas que o deputado federal fez em cima de fotos e filmagens sobre mim.

Quando fui de tarde contar ao diretor da DIOE o que aconteceu, ele enviou-me as fotografias tomadas pelos agentes policiais que foram ao terreno baldio, mostrando o barraco sub-humano e a senhora miserável mantida ali em condições análogas a de escravo, talvez por ordem do próprio deputado federal Wladimir Costa, que quer ser o dono do terreno ou apenas está tentando aproveitar mais uma oportunidade para extorquir.

Além das ações indenizatórias, darei especial atenção às medidas criminais para tentar extirpar da vida pública esse tumor canceroso, imundo, corrupto, debochado e que é a quintessência de todo o mal que existe na vida política brasileira.

A fotografia feita pela Polícia das condições miseráveis da idosa refletem a degradação a que grande parte do povo brasileiro chegou por obra das extorsões e dos desvios que imundícies como o deputado federal Wladimir Costa praticam a toda hora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário