VER-O-FATO: TAXISTAS DE BELÉM NÃO ACEITAM YET GO E UBER: E VOCÊ, QUAL PREFERE?

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

TAXISTAS DE BELÉM NÃO ACEITAM YET GO E UBER: E VOCÊ, QUAL PREFERE?





Uma grande convocação de protesto, sob o título "Acabou a Paz", marcada para as 8 da noite do dia 9, quarta-feira, no Portal da Amazônia, sinaliza para o agravamento da guerra de taxistas de Belém contra os aplicativos Uber e Yet Go, que estão fazendo sucesso na cidade. Na verdade, desde a implantação desses dois serviços, no final do ano passado, os taxistas não se conformam com o tipo de concorrência que enfrentam.


Algumas escaramuças pessoais têm ocorrido entre motoristas que usam o aplicativo e algumas cooperativas de taxis, inclusive com ameaças de morte já sob investigação da polícia. Para os taxistas, os concorrentes não cumprem com as mesmas exigências que a prefeitura faz para os táxis rodarem pela cidade.

"Eu tenho de estar licenciado, fazer cursos de capacitação, apresentar certificado de antecedentes criminais, além de pagar um monte de impostos, enquanto esse pessoal do Uber não tem as mesmas despesas", disse ao Ver-o-Fato o taxista Fernando Carlos Oliveira. Outro taxista, Paulo Valério Costa, afirma que os serviços de aplicativos atuam "à margem da lei" e sequer passam por vistorias. "É concorrência desleal", afirma ele.

Os motoristas do Yet Go e Uber contestam tais alegações e dizem que o grande problema dos taxistas é que eles não procuraram melhorar a qualidade de seus serviços e muitas vezes cobram o valor das corridas acima da tabela, além de alguns serem mal educados e não cuidarem de seus veículos.

"Cobro até 40% mais barato e meu carro é seminovo, está sempre limpo", explica Mariano Ferreira. "As pesoas que eu transporto me dizem que gostam do preço e da qualidade de serviço, com carro confortável e até revista para ler", completa Sálvio Oliveira.

Belém tem mais de 5 mil táxis licenciados o que torna a capital paraense, proporcionalmente, com mais táxis do que a cidade de Nova York. Ainda assim, com tantos táxis, há passageiros que preferem o Uber e o Yet Go. A polêmica deve continuar, porque um velho hábito em Belém, o de pegar táxi na hora da urgência, ganhou novos personagens motorizados.

Na última sexta-feira, 4, segundo o G1 Pará, pelo menos 120 taxistas protestaram pela cidade contra Uber e Yet Go. Eles saíram em carreata da avenida Doca de Souza Franco e foram para São Brás, fazendo algumas paradas e buzinaço. Na avenida Nazaré, os taxistas desceram de seus veículos e gritaram palavras de ordem em frente ao hotel Grand Mercure, onde funciona a filial administrativa do Uber.

Troca de ofensas

Houve bate-boca com alguns uberistas e foi preciso a intervenção da Polícia Militar para que o pior não acontecesse. Ainda assim, alguns taxistas tentaram atacar um veículo que estaria prestando serviço via aplicativo de celular. Ninguém se feriu ou foi preso. Houve apenas troca de "gentilezas".

A Uber começou a atuar em Belém em fevereiro deste ano, após uma polêmica envolvendo o legislativo municipal, que aprovou no dia 30 de novembro de 2016 uma proibição aos aplicativos de transporte de passageiros. A Defensoria Pública questionou esta proibição, alegando que a decisão dos vereadores viola os direitos do consumidor e o interesse da população.

Segundo a empresa, os motoristas da Uber prestam serviço de transporte individual privado, que é previsto pela Política Nacional de Mobilidade Urbana e respaldado pela Constituição.

E você, aí, vai de táxi, de Uber ou Yet Go?

3 comentários:

  1. A questão é que os taxistas pararam no tempo. Carros velhos e sujos, tarifas caras, bandalhos, etc.
    Agora me digam quais são os impostos que pagam? Nenhum. No máximo pagam a taxa de licenciamento da prefeitura. E é só. Nem imposto de renda recolhem. Mas têm a isenção do ICMS e do IPU na compra dos carros, o que dá um desconto de uns 30% no preço final.
    Kenneth

    ResponderExcluir
  2. Antes desses aplicativos, quantas não foram as vezes em que ao solicitar um táxi de praça eu recebi de volta a pergunta: - vai para que local? Dependendo da resposta (corrida curta), não raro era sugerido tentar com o colega de trás da fila. Quantas não foram as vezes em que pedi para ligar o ar condicionado e me foi dito que estava com defeito. Certa vez peguei um táxi no aeroporto e o pacote veio completo: não ligou ar, não pegou o caminho que recomendei e não subiu na garagem do prédio. E agora falam em concorrência desleal!!???. Aqui ó!!

    ResponderExcluir