VER-O-FATO: OS "IMORTAIS" DO PARÁ E O PERFIL ACADÊMICO

domingo, 27 de agosto de 2017

OS "IMORTAIS" DO PARÁ E O PERFIL ACADÊMICO


Francisco Sidou - jornalista
A propósito das quatro vagas existentes na Academia Paraense de Letras (APL) , um amigo acadêmico me confidenciou desejo de lançar meu nome. Agradeci, mas desestimulei-o de pronto. 

Ele então me confessou que, comentando seu propósito com um de seus pares, este também o havia desestimulado, embora reconhecendo que "ele escreve bem, tem livros publicados, é bom jornalista, mas não tem perfil acadêmico."...Acertou em cheio. 

Efetivamente, não tenho a menor vocação de sair pedindo votos para disputar uma vaga de acadêmico. Nem possuo aquele "verniz" indispensável para frequentar os salões dos palácios e eventos culturais fingindo amizades e dando tapinhas nos ombros em políticos e "gente importante". Nem a menor vontade de vestir fardões com galardões e tomar chá das cinco. 

Prefiro o Licor de Jambu da Confraria da Jamburana, lá na Terra do Meio, que tem como magnífico reitor o nosso guru Andre Costa Nunes e como mestre sem cerimônia o grande JBosco Cartunista. 

No mais arrisco um palpite: o prefeito/poeta de Belém, Zenaldo Coutinho, será o candidato mais votado para a cadeira antes ocupada (de Brasília) pelo ex-senador, ex-governador e ex-comandante militar, Jarbas Passarinho. O prefeito/poeta certamente tem perfil acadêmico...

Nenhum comentário:

Postar um comentário