domingo, 20 de agosto de 2017

MORRE JERRY LEWIS, O GÊNIO DA COMÉDIA QUE FEZ O MUNDO RIR





Este mundo, além de conturbado e chato, também está mais triste. É que hoje morreu, aos 91 anos, um dos maiores gênios da comédia: Jerry Lewis ( no trecho do vídeo acima, em o "Fofoqueiro", de 1967). O agente do ator confirmou que Lewis morreu nesta manhã em sua casa em Las Vegas, Nevada. Entre junho e agosto deste ano, o ator ficou hospitalizado para tratar de uma infecção urinária.


A última apresentação de Lewis nos palcos ocorreu no hotel South Hotel na mesma cidade em outubro do ano passado. Além de influenciar uma geração inteira de comediantes e ser um ícone do riso, Jerry também levou conduziu causas humanitárias, como seu programa beneficiente anual do Dia do Trabalho para a Associação de Distrofia Muscular, que ele começou a apresentar em 1952. Ele se aposentou do evento em 2011.

Ele alcançou a glória pela primeira vez junto com Dean Martin, com quem atuou a partir de 1946 e formou uma das duplas mais memoráveis do humor americano. Dean Martin era o elegante da dupla, especialmente quando cantava, enquanto Jerry Lewis exercia o papel do parceiro imprevisível. Os espetáculos eram totalmente abertos à improvisação.

Após dez anos de sucessos demolidores nos teatros e no cinema, graças a filmes como "O marujo foi na onda" (1952) e "O rei do laço" (1956), em 24 de julho de 1956 Dean Martin e Jerry Lewis fizeram o último espetáculo como dupla no clube Copacabana, em Nova York. Ainda na década de 1950, Jerry se notabilizou pelas apresentações em clubes noturnos, na televisão e no cinema.

Ao longo de cinco décadas, Lewis estrelou mais de 45 filmes em uma carreira. O filme mais famoso de Lewis é a comédia “O Professor Aloprado”, de 1963. Protagonizado e produzido por ele, o longa conta a história do atrapalhado professor universidade Julius Kelp. Depois de ser humilhado por alunos e quase ser demitido, ele cria uma fórmula que o faz ser elegante, charmoso e bom de papo. Nasce então Buddy Lee.

O filme ganhou uma nova versão na década de 1990, quando Eddie Murphy passou a viver o professor aloprado. Seu último filme é "Max Rose", do ano passado, e o primeiro desde "Rir é Viver", de 1995, em que é o protagonista. Ele interpreta o viúvo Max Rose, que, ao mesmo tempo em que sofre com a perda da esposa Eva (Claire Bloom), investiga uma descoberta que pode acabar com suas certezas de muitos anos de casado.

Já o penúltimo trabalho de Jerry ator foi o filme brasileiro "Até que a Sorte nos Separe 2", em que trabalhou com Marcius Melhem e Leandro Hassum. Na época das filmagens, o ator estava com 87 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário