quarta-feira, 7 de junho de 2017

BELÉM CANSOU DO HORROR E DA IMPUNIDADE: EM NOVA CHACINA, 4 MORTOS E 11 FERIDOS

Em novembro de 2014, 10 mortos: de lá para cá, a matança aumentou.

Os grupos de extermínio que atuam impunemente em Belém voltaram a engrossar suas macabras estatísticas, desta vez no momento em que pessoas assistiam pela televisão, na noite de ontem, em um bar no bairro da Condor, ao jogo entre Paysandu e ABC: quatro pessoas mortas e 11 feridas. Entre os feridos, duas crianças baleadas no pé e na cabeça, segundo os familiares. 

https://www.facebook.com/radionet.assistencia/
A polícia, no começo, chegou a dizer que 15 pessoas foram feridas pelos "justiceiros", mas depois atualizou seus números. Não se sabe se eles são definitivos. Segundo testemunhas, pelo menos oito homens encapuzados participaram da ação criminosa. Suspeitos teriam disparado vários tiros na Rua Nova II, em um bar cheio de clientes. 

Os moradores da área relataram que os atiradores chegaram em três carros, cercaram o quarteirão e começaram a disparar tiros por todos os lados. Paredes e portões ficaram com marcas. Uma das crianças baleadas estava na porta de um comércio, que também foi alvo de muitos disparos. 

Duas vítimas foram identificadas. Uma é Jairo Lobato Pimentel e Evandro Santos Sá. Segundo moradores, nenhuma vítima do tiroteio tinha envolvimento com a criminalidade. A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), informou em nota que já desencadeou uma série de medidas para esclarecer as circunstâncias, motivações e responsabilidade pela ação criminosa. 

Uma equipe de policiais da Divisão de Homicídios, juntamente com peritos do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPC), iniciou o trabalho de levantamento no local. Os corpos das vítimas chegaram na sede do CPC por volta de meia-noite e meia. 

Ainda de acordo com a Segup, a Polícia Militar intensificou ações de buscas nos bairros da Cremação, Jurunas e Condor. Barreiras e operações de saturação nas três áreas estão mantidas com militares do Comando de Missões Especiais (CME).

Músico do Rancho

Entre os mortos está o segundo diretor de bateria da escola de samba "Rancho Não Posso me Amofiná", Ricardo Botelho, conhecido por "Suíno". Em nota, a diretoria do Rancho lamentou a morte de seu carnavalesco e das outras pessoas vítimas dos exterminadores. 

"Hoje o dia amanheceu triste. Instrumentos silenciaram. A "bateria nota 10" do Rancho está de luto. É com profundo pesar que a diretoria do Rancho Não Posso Me Amofiná comunica o falecimento de Ricardo Botelho, o "Suíno", como era conhecido o segundo diretor de bateria da Escola", diz a nota. 

E enfatiza: "Ricardo faleceu no Pronto Socorro Municipal da 14, vítima da cruel violência que assola nosso Estado. Além de um excelente músico, era trabalhador e pai de família. Que Deus o receba sob a luz divina".  Fontes: Ver-o-Fato, com G1 e assessoria do Rancho.


3 comentários:

  1. Sugiro ao blogueiro, consultar o DOL, pois lá consta todos os nomes dos mortos e feridos, coisa que no portal G1, não diz e nem vai dizer, pois faz parte do Gripo Liberal, de apoio ao medíocre governador cassado Jateve.Aliás até quando o Ministério Público fará "vistas grossas" a essas chacinas?Por que a assmbléia Legislativa, não convoca o secretário e o péssimo governador para interrogá-los?Cadê a justiça Eleitoral que não afasta "URGENTE", esse governador e prefeito cassados?Enquanto isso as páginas dos Jornais escancaram a violência nessa terra sem lei, que me recuso falar que seja o Pará,pois o Pará um dia existiu, quando havia governadores e prefeitos que governavam para o povo, coisa que hoje não existe mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você falou tudo,essa bandidagem tem que sair do poder

      Excluir
  2. Agradeço ao anônimo, mas já tenho a lista em meu poder, obtida junto à polícia e familiares das vítimas. Quando postei a matéria aqui, mais cedo, ainda não tinha a relação e nem mais detalhes sobre a chacina. Estou preparando mateŕia para a Agência Estado e "Estadão", com uma informação exclusiva que poderá contribuir para freiar a ação desses "justiceiros" que aterrorizam Belém. Agradeço pela atenção e ajuda.

    ResponderExcluir