VER-O-FATO: SINDICALISTA DEFENDE SERVIDOR E MOSTRA EM VÍDEO COMO ANDA A POLÍCIA CIVIL NO PARÁ

segunda-feira, 1 de maio de 2017

SINDICALISTA DEFENDE SERVIDOR E MOSTRA EM VÍDEO COMO ANDA A POLÍCIA CIVIL NO PARÁ



Desabafo dos servidores públicos do Pará: "falta café na repartição, a gente compra. Falta açúcar, a gente compra. Falta material de papelaria, luva, material para desenvolver projeto, a gente compra. A gente se une e não deixa a peteca e nem o serviço cair. Faz tantas e tantas coisas. Até levar ventilador de casa para não permanecer em uma situação insalubre". 

Como servidor público, desabafa José Pimentel, diretor do Sindicato dos Policiais Civis do Pará, "nunca roubei nada. Ganhei o que trabalhei e muitas vezes trabalhei muito mais do que ganhei. Muitas vezes ajudei, levando meu equipamento na realização de um projeto por falta de verbas. Portanto, dar a César o que é de César ". Pimentel também repudia acusações e injustiças que alguns desinformados fazem contra os funcionários públicos.

Segundo Pimentel - que mandou para o Ver-o-Fato o vídeo acima, sobre as condições vergonhosas de trabalho em que se encontram os policiais civis do nosso Estado, enquanto concursados aprovados lutam para ser nomeados pelo governador Simão Jatene  -  "é muito duro ver campanha na mídia desmoralizando o servidor".

"Não são os salários dos servidores públicos concursados e contribuintes que quebram a Previdência, nem é o servidor público que quebra as finanças de um ente público. A quebra da Previdência e das finanças públicas é resultado de muita corrupção e de administração inconsequente", afirma o sindicalista.

2 comentários:

  1. Boa tarde Carlos.Valeu pela postagem.Não sou policial civil,porém trabalho no serviço público e é duro viu...A população não conhece nem metade das aflições que passamos,principalmente com relação às condições de trabalho.Entretanto(e que duro entretanto)quando saímos às ruas,ainda somos atacados por aqueles que deveriam estar do nosso lado:os populares,atingidos duramente pela incúria da administração pública.Chamar grevista de vagabundo agora virou cantilena,mel na boca dos beócios que parecem ter pré-disposição para o masoquismo.Numa infeliz síndrome de Estocolmo,se tornam aduladores daquele que o esbofeteia todos os dias:o poder público.Sinceramente,por essas outras,não participo mais de ato público nenhum.Como tratamos aqui especificamente da polícia civil,esses beócios,aduladores do auto sofrimento,não venham depois reclamar da violência,dos tiros,dos assaltos,dos carros pratas etc...A minha pena acabou.Desculpe a dureza das minhas palavras,mas o desabafo era necessário,e achei essa postagem pra lá de oportuna.
    Rafael Gomes

    ResponderExcluir
  2. o governador Jatene ao invés de criar uma secretaria para a filha izabela se eleger ano que vem com dotação superior a cinco milhões de reais poderia muito bem resolver a situação da segurança publica. Que vergonha Jatene! Ei PGJ Gilberto Martins, o que tu vais fazer?

    ResponderExcluir