VER-O-FATO: HELIOTROPISMO E SAPATEADO DE CATITA

sexta-feira, 7 de abril de 2017

HELIOTROPISMO E SAPATEADO DE CATITA


Três jatenistas com Helder: unidos pelo heliotropismo



Uma fonte do Ver-o-Fato, sempre antenada com a movimentação das pedras no xadrez político do Pará, acaba de mandar três fotografias de políticos, teoricamente ligados ao governador Simão Jatene, mas que apareceram esta semana no gabinete do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, em Brasília. 

Ao comentar as fotos das figuras sorridentes em audiência com Helder, a fonte se diz perplexa, segundo ela, com "tanta senvergonice" e quer saber qual a minha opinião.

Em primeiro lugar, não vejo nada de estranho. Os três deputados jatenistas Junior Ferrari, Nilson Pinto e Luiz Sefer, podem dizer que foram ao gabinete tratar de assuntos de "interesse do povo do Pará". Helder também dirá a mesma coisa.

Conversa fiada. No meu querido e eterno bairro da Matinha, costuma-se dizer que papo de políticos sobre o povo, para disfarçar seus interesses pessoais, é "dança de rato, sapateado de catita e rebolado de minhoca". 

Nossos malandros da Matinha, como se vê, são bem mais autênticos. 

Minha tese para esses encontros entre quem está no poder aqui e quer estar no poder também em Brasília, ou as duas coisas ao mesmo tempo, se baseia no heliotropismo. 

Mas o que é o heliotropismo? Em biologia, é o movimento de plantas e alguns tipos de animais de vida séssil, como cracas, corais, crinóides e algas em direção à luz do sol. Ou seja, sem a luz do sol, essas plantas e animais não sobrevivem. 

Os políticos também se enquadram na tese do heliotropismo. Porque vivem sempre em busca da luz do sol, agindo por instinto de sobrevivência. O sol, para eles, no caso, é o poder. 

Helder Barbalho não é o sol, mas parte do sol. Tire-lhe o sol e ele morre na escuridão, como os outros que estiveram em seu gabinete e tantos outros espalhados pelo país afora. 

Sem a luz do sol - traduzida em liberação de verbas públicas para isso e aquilo - esses políticos não são nada. Não se elegem nem em eleição para guarda noturno.

2 comentários:

  1. Só se for a luz das trevas.

    ResponderExcluir
  2. Dizia Jarbas Passarinho que este é o movimento das 'aves-de-arribação'.

    ResponderExcluir