quinta-feira, 13 de abril de 2017

DIRETOR DA ODEBRECHT CONTA EM VÍDEO COMO DEU R$ 1,5 MILHÃO PARA HELDER BARBALHO



Três parcelas de R$ 500 mil, entregues ao ex-senador Luiz Otávio Campos, o "Pepeca". Foi assim que R$ 1,5 milhão foram liberados pela Odebrecht para a campanha derrotada ao governo do Pará, em 2014, do então candidato do PMDB, Helder Barbalho, segundo relato em vídeo (acima) gravado na Justiça Federal pelo ex-diretor da Odebrecht Ambiental e delator, Fernando Reis.

A alegação de Helder Barbalho de que nada tem a ver com a Cosanpa, citada por Reis no vídeo, é esclarecida pela declaração do empresário, que diz que o dinheiro foi liberado para o peemedebista porque a Odebrecht possui 11 concessões de saneamento na região sudeste do Pará.

Nesse caso, segundo Reis, a Cosanpa "faz o que pode para perturbar o andamento" das 11 concessões que a Odebrecht possui em "onze pequenas cidades". Reis afirma que existe no Pará, e nas companhias estaduais de saneamento, das quais a Cosanpa faz parte, um "corporativismo contra os investidores privados", porque elas "não gostam de perder terreno".

"A combinação de pagamento ocorria sempre com o senhor Luiz Otávio", diz o delator, referindo-se ao ex-senador Luiz Otávio Campos. Reis também relata o endereço de um hotel, em São Paulo, onde o então candidato ao governo do Estado, Helder Barbalho, se reunia com o diretor-superintendente da Odebrecht, Mário Amaro, para falar sobre o esquema. O senador Paulo Rocha (PT) e o então prefeito de Marabá, João Salame, estavam na reunião.

Em nota anterior publicada no blogue, Helder negou as acusações, dizendo que suas contas foram apresentadas e aprovadas pela Justiça Eleitoral. E, a respeito do codinome "Cavanhaque", citado na planilha de pagamento de propinas e Caixa 2 da Odebrecht, disse nunca ter usado cavanhaque. 
 

Um comentário:

  1. Nao demora muito e teremos a santa andreza dos traficantes sem embasamento.

    ResponderExcluir