sexta-feira, 7 de abril de 2017

ALEPA REPUDIA AMEAÇAS DE MORTE POR GRUPOS DE EXTERMÍNIO CONTRA DEPUTADO BORDALO

Márcio Miranda: apoio a Bordalo num momento difícil. Que tal ir mais fundo?

A Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) em nota enviada ao Ver-o-Fato, saiu em defesa do deputado Carlos Bordalo - ameaçado de morte, juntamente com seus familiares - por supostos integrantes de milícias que agem impunemente no Estado.


Segundo a nota, assinada pelo presidente, deputado Márcio Miranda, a Alepa " repudia com veemência as ameaças de morte ao deputado Carlos Bordalo, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Casa, e de imediato requereu à Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social providências urgentes no sentido de identificar os autores, além da necessária proteção ao parlamentar e a seus familiares".

Diz ainda que a CPI que apurou a existência de milícias atuantes no Pará, e cujo relatório supostamente ensejou tais ameaças, foi instituída pelo Poder Legislativo à unanimidade e dela participaram ativamente esta presidência e toda a Mesa Diretora, além da Comissão de Segurança Pública, envolvendo a Alepa como um todo, inclusive seus servidores.

Assim, de acordo com a nota, "qualquer retaliação a um deputado estadual – e de modo especial as ameaças perpetradas ao deputado Carlos Bordalo em represália ao seu trabalho parlamentar como relator da CPI das Milícias – atinge o Poder Legislativo em sua totalidade, como instituição basilar do Estado de Direito e de garantia das liberdades democráticas".


Para concluir, afirma que a Alepa "não se curva a qualquer tentativa de intimidação e reafirma a defesa de cada um dos seus membros e da sociedade paraense". O presidente Márcio Miranda fez o que se espera de um comandante de um poder em defesa de um de seus integrantes.

Foi digno e não abandonou Bordalo às feras quando ele mais necessita do apoio não apenas da Alepa, mas de todos os seus pares, independentemente das diferenças políticas, partidárias ou ideológicas.

A Alepa ficaria ainda melhor na foto se também tomasse uma posição mais firme, cobrando do Executivo providências imediatas para que esses grupos de extermínio sejam identificados, desbaratados e seus integrantes presos.



O que está faltando?

Nenhum comentário:

Postar um comentário