terça-feira, 21 de março de 2017

CABO DA PM PEGA 29 ANOS DE CADEIA POR MATAR JOVEM. BELÉM DESERTA; PM, DE PRONTIDÃO


"Cilinho", diante da juíza Angela Alice Tuma: sentença de 29 anos

Por maioria de votos do corpo de jurados, o cabo aposentado da Polícia Militar, Otacílio José Gonçalves, o "Cilinho", foi condenado a 29 anos de prisão, a ser cumprida em regime fechado e sem direito a apelar em liberdade da sentença, pelo assassinato do adolescente Felipe Galúcio Chaves, no dia 4 de novembro de 2014. A morte ocorreu no episódio que ficou conhecido como a "Chacina de Belém", na qual outras dez pessoas foram mortas por grupos de extermínio. 

Eram 11:28 da noite quando a juíza Angela Alice Alves Tuma, da 3ª Vara do Júri, leu a sentença de condenação de "Cilinho". Ele foi condenado por homicídio duplamente qualificado, com pena fixada em 22 anos. 

Além disso, ele também foi condenado por ter praticado o crime, no bairro da Terra Firme, atuando como integrante de milícia privada, o que aumentou a pena do júri em mais 7 anos. Na soma das penas, os 29 anos satisfizeram a promotora de Justiça Rosana Cordovil, que atuou na acusação. 

Por mera formalidade, o advogado do réu anunciou que irá recorrer contra a decisão. "Cilinho" foi imediatamente levado para a Penitenciária de Americano, em Santa Isabel, onde cumprirá a pena.

PM de prontidão

Sob ameaça divulgada por suposto grupo de extermínio, no ZAP, de que se "Cilinho fosse "condenado injustamente", haveria uma noite de matanças em Belém, mirando-se os alvos em que estivesse "pelas esquinas, jogando conversa fora", o comando-geral da Polícia Militar manteve a tropa de prontidão e pronta para impedir qualquer atrocidade. 

Mesmo com a PM de prontidão nos quartéis, não se sabe se a ameaça será cumprida ou se a retaliação pela decisão da Justiça contra "Cilinho" ficou adiada para ser executada em outro dia. 

De qualquer maneira, o Ver-o-Fato observou que muitas ruas e avenidas da capital estavam desertas. Algumas viaturas da PM foram vistas em alguns locais. Nada além, contudo, do que se vê todos os dias.



Um comentário:

  1. Ontem à noite pela primeira vez em 2017 não foi registrada nenhuma execução na região metropolitana! Amém!

    ResponderExcluir