segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

UM INFERNO DENTRO DO PARÁ



Quem já trafegou pela rodovia BR-163, a conhecida Santarém-Cuiabá, do lado paraense - porque do lado matogrossense é Cuiabá-Santarém - sabe que essa estrada, entra governo, sai governo, é a pior estrada do país. 


Fernando Henrique Cardoso, por duas vezes, prometeu que ela seria toda asfaltada no trecho paraense de mais de 800 km, partindo de Novo Progresso, na fronteira paraense com Mato Grosso. FHC mentiu, mas sua mentira ajudou a consolidar o PSDB no poder paraense, desde Almir Gabriel até o trigovernador Simão Jatene. 

Depois, veio Luiz Inácio Lula da Silva, com seu populismo de esquerda para enganar tolos e sacudidores de bandeiras vermelhas. Mentiu tanto ou mais que FHC, prometendo que em seu governo a estrada finalmente seria asfaltada. Não foi. Mas ajudou a eleger Ana Júlia. 

Aí veio Dilma Roussef e, com Lula a tiracolo, as promessas se renovaram. Já sem nenhuma credibilidade, a mentira mostrou mais uma vez suas pernas curtas. Dilma caiu e a BR-163 continua a mesma de sempre. Os trechos que receberam asfalto não representam nem 10% do que falta fazer.

Hoje, quem manda no país é Michel Temer e seu partido, o PMDB. Ele nem fala em fazer o que os outros não fizeram, porque todo mundo sabe que estará mentindo. 

Ano que vem teremos eleição para governador e presidente da República. Não faltará candidato para requentar a velha promessa não cumprida por FHC, Lula e Dilma. 

Enquanto isso, a realidade da BR-163 salta aos olhos. No inverno amazônico, atoleiros colossais, buracos que engolem ônibus e carretas, prejuízos a quem trabalha e produz na região. 

Um inferno em forma de estrada.  

2 comentários:

  1. Essa ladainha na verdade vem desde os governos militares e ainda não surgiu um cabra culhao quente para resolver esse drama de quem precisa da rodovia para girar a economia da região.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E tão cedo não surgirá pois nesses próximos anos só o sul e o sudeste serão beneficiados pelo governo.

      Excluir