terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

HELDER BARBALHO NEGA CAMPANHA ANTECIPADA: “É FUTUROLOGIA E ESPECULAÇÃO”, DIZ

Helder (ao fundo o deputado Eraldo Pimenta, e ao lado o prefeito Nélio Aguiar): "é tudo especulação".
De passagem pela bela Santarém – ele é ministro do país, mas segundo adversários políticos não sai do Pará, o que reforça a constatação de que estaria em campanha antecipada para o governo em 2018, agindo nas barbas do Ministério Público Eleitoral e da própria Justiça Eleitoral - Helder Barbalho, da Integração Nacional, como o personagem do desenho animado Leão da Montanha, teve uma “saída pela direita” quando indagado sobre o assunto pelo jornalista Miguel Oliveira, diretor do Portal OESTADONET, de Santarém.


Apanhado de surpresa pelas perguntas do jornalista, o ministro enrolou, pulou feito pipoca em frigideira quente, mas rebateu as críticas de que já estaria em campanha, negando inclusive ter participado de conversas preliminares sobre a eleição de 2018 para o governo do Estado em dobradinha - pasme quem quiser – com o PSDB de Simão Jatene, que o derrotou na eleição de 2014.

Ensaboado, Helder disse que o que está sendo divulgado não passa de “futurologia e especulação” e que sua preocupação no momento é “trabalhar pelo Pará e pelo Brasil”. Veja a íntegra da curta entrevista a Miguel Oliveira. A foto é de Bena Santana:

Pergunta - Como o sr. vê as críticas de que está em campanha eleitoral antecipada?

Helder – Você está com a mente muito fértil. Há uma confusão. Talvez exista uma cultura hoje de ver as pessoas trabalharem no dia a dia, ficam olhando e se incomodam. Eu não trabalho para aqueles que buscam apenas criticar, eu trabalho para a população do Brasil e do Pará e vou continuar a trabalhar.

O sr. acha que é uma especulação essa possibilidade de um acordo com o PSDB para sua candidatura (ao governo, em 2018) ?

Helder – Absolutamente, nos temos que trabalhar. A campanha, na hora certa a gente discute esse assunto.

Mas o sr. será o beneficiado. O que acha disso?

Helder – Eu continuarei trabalhando, aproveitando da oportunidade de estar Ministro da Integração Nacional para ajudar o meu Estado, e para ajudar os desafios do país. Sob o aspecto eleitoral, creio que no momento, em 2018, todos os atores eleitorais haverão de ter a capacidade de diálogo e de construir as suas estratégias.

Fala-se que a nível nacional pode haver uma união do PMDB com o PSDB em apoio ao presidente Temer como candidato e com reflexos nos estados. Como o sr. vê essa questão?
Helder - Acho absolutamente precipitado, um exercício de futurologia que é absolutamente desaconselhado na atividade política. É um exercício de especulação, nada mais além disso.

2 comentários:

  1. Se não é campanha o que ele foi fazer em Santarém?

    ResponderExcluir
  2. 2018 parece que só o Helder será cadidato a governador.

    ResponderExcluir