VER-O-FATO: FÓRUM DE CONCÓRDIA DO PARÁ VIRA CINZAS NA MADRUGADA: INCÊNDIO FOI CRIMINOSO

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

FÓRUM DE CONCÓRDIA DO PARÁ VIRA CINZAS NA MADRUGADA: INCÊNDIO FOI CRIMINOSO


 
 
O fogo devorou tudo que havia dentro. Fotos: JN Concórdia

  
O Fórum de Concórdia do Pará, município do nordeste do estado e que abrigava o juizado criminal, cível, cartórios e o Ministério Público foi totalmente destruído por um incêndio criminoso, na madrugada desta segunda feira. Segundo testemunhas, quatro homens encapuzados invadiram o local por volta das 4 horas, fazendo o vigia de refém, trancando-o dentro de uma sala, para que pudessem agir à vontade.
  
Eles espalharam combustível pelas dependências e atearam fogo, fugindo sem deixar pistas. O vigia, cujo nome a polícia ainda não divulgou, gritava por socorro, enquanto as chamas consumiam o Fórum. Vizinhos acordaram e chamaram a polícia. Os policiais conseguiram resgatar o vigia, que foi atendido no hospital do município. Ele sofreu queimaduras e algumas escoriações. 

O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas como o quartel mais próximo fica em São Miguel do Guamá, a quase 100 quilômetros de Concórdia, eles não chegaram a tempo para apagar o fogo. O clima na cidade é de surpresa e espanto diante da ousadia dos criminosos. 

A policia abriu inquérito para apurar o caso e as suspeitas são de queima de arquivos por pessoas que estariam respondendo a processo criminal ou crime eleitoral, mas nada ainda está confirmado. Se o objetivo foi destruir processos, a intenção pode ter sido um fracasso, pois os arquivos são todos digitalizados e transmitidos para uma central de armazenamento do Tribunal de Justiça, em Belém. Os danos materiais, porém, foram grandes. O prédio, computadores, móveis e veículos foram destruídos. 

MP informa
Em nota enviada ao Ver-o-Fato, o Ministério Público informa que a sede do órgão também funcionava dentro do Fórum. A titular da promotoria de Concórdia é a promotora de Justiça Tatiana Granhen, que dividia o gabinete com um servidor do MP e um estagiário.


Segundo a promotora, no que diz respeito à documentação do Ministério Público, não havia processos guardados no local, apenas documentos administrativos. O MPPA já está avaliando um novo local para abrigar a promotoria e em breve informará à população.

Nenhum comentário:

Postar um comentário