VER-O-FATO: EXPANSÃO DO AGRONEGÓCIO FAZ QUEIMADA DISPARAR NA REGIÃO DO XINGU, DIZ IBAMA

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

EXPANSÃO DO AGRONEGÓCIO FAZ QUEIMADA DISPARAR NA REGIÃO DO XINGU, DIZ IBAMA

O que importa é a balança comercial. O resto...
Tema de um dos sambas-enredos mais polêmicos de 2017, elaborado pela escola carioca Imperatriz Leopoldinense, o Parque Indígena do Xingu sofre com o desmatamento para expansão do agronegócio e, como resultado direto, assiste ao aumento de incêndios florestais no entorno da reserva.

As queimadas cresceram 58% entre 2008 e 2016, conforme levantamento feito a pedido do UOL pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). O indicador foi calculado a partir da base de dados do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).


O órgão ambiental afirma que o desmatamento da vegetação nativa da reserva localizada entre o Mato Grosso e o Pará para criação de pasto e lavoura tem causado o “desequilíbrio de todo o sistema hidrológico” na região. Ou seja, o regime de chuvas foi alterado e, com isso, houve alteração nos padrões de pressão atmosférica.

Segundo o Ibama, a mudança causa “o declínio dos ventos carregados de umidade que vêm do oceano para o continente, causando, assim, o aumento da intensidade e do período de épocas de seca em várias regiões do país”.
 
147 incêndios em 2016

O resultado direto da secura é o aumento de queimadas no Xingu. Traduzido pelo órgão em números: em 2008, o parque indígena registrou 93 incêndios florestais. O número saltou para 147 no ano passado. Em 2015, foram 185 ocorrências, contra 157 em 2014.

No total, segundo levantamento do INPE, o Mato Grosso teve 29.572 queimadas em 2016, e o Pará, 29.426 queimadas. As informações são do UOL

Um comentário:

  1. Isso já era de se esperar quando a camarilha do mal e do mau tomou de assalto o país. Jornalista consciente a investigar e denunciar agora é partisan. Estará sempre na linha do tiro. Literalmente. A bancada BBB Bala, Boi e Bíblia dão as cartas...

    ResponderExcluir