terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

A FEBRE AMARELA CHEGOU AO PARÁ, VIU DONA SESPA. INSTITUTO "EVANDRO CHAGAS" CONFIRMA

Esse macaquinho apareceu morto em Rurópolis
Apesar de a Secretaria Estadual de Saúde (Sespa) dizer que não havia risco de febre amarela no Pará, a nota a seguir do Instituto Evandro Chagas mostra que o buraco é mais embaixo:

"O Instituto Evandro Chagas informa que o exame do primata não humano (macaco) encontrado na zona rural do município de Rurópolis, no Oeste do Pará, apresentou resultado positivo para febre amarela mediante realização de teste de biologia molecular (RT-PCR em tempo real). O Instituto Evandro Chagas já notificou à 9ª regional-Santarém/SESPA, bem como o Ministério da Saúde".
Os casos foram registrados em três localidades diferentes de Rurópolis.  O mais grave foi no sítio de Rosimeyre dos Santos, na comunidade Estrela do Norte, localizada a 30 km da cidade, às margens da BR-163.

A agricultora passou a ter medo dos animais brincando no quintal "Fiquei com medo porque não sabia do que eles estavam morrendo", comenta a agricultora Rosimeyre dos Santos.


Gradativamente os animais foram sumindo, três foram encontrados mortos. A Secretaria de Saúde de Rurópolis passou a investigar os casos. O último animal que morreu estava sendo monitorado pela secretaria. O corpo dele foi encaminhado para o Instituto Evandro Chagas, na Região Metropolitana de Belém.

A comunidade onde os macacos morreram fica na divisa da Floresta Nacional do Tapajós. Por isso as investigações foram feitas nessa área de mata. "Eles vão fazer a análise das viceras desse macaquinho que foi e a análise dos mosquitos que eles coletaram aqui para verificar se tem virus circulante", conta Fernanda Cardoso, titular da secretaria.

E agora, senhores? É cair em campo, sem desinformações, e começar a vacinar o pessoal da Transamazônica, da Santarém-Cuiabá e, é claro, onde mais houver risco de epidemia. Do Ver-o-Fato, com G1Pará e assessoria do Evandro Chagas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário