terça-feira, 3 de janeiro de 2017

"GENTE BOA TAMBÉM MATA", A CAMPANHA DE TRÂNSITO QUE VEIO PARA CONFUNDIR

 
 



O sujeito que bolou a campanha acima do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil deveria ganhar o prêmio "Incomunicabilidade 2017", tamanha é a confusão que cria na mente de quem passa pelas avenidas e estradas do país e se depara com esses cartazes afixados. 

Sob o slogan "Gente boa também mata", a propaganda da Operação Rodovida quer chamar atenção para quem dirige utilizando o celular, embriagado ao volante, com excesso de velocidade, que faz ultrapassagens irregulares e que não utiliza cinto de segurança. O problema é que o que deveria vir no corpo maior dos cartazes fica em segundo plano, em letras pequenas que ninguém vê.

Então, a mensagem que fica e nos faz refletir sobre a obtusidade do marqueteiro do governo Temer é de que a pessoa que faz o bem também é capaz de matar. Os textos induzem a isso. Um deles diz: "Quem resgata animais na rua pode matar". O outro, completa: "O melhor aluno da sala pode matar". 

Na página do Ministério dos Transportes no Facebook, a campanha atraiu inúmeras críticas e recebeu até o momento mais de 5 mil comentários.

"Pior campanha dos últimos tempos. Além de abobalhar a bondade, mistura uma avaliação moral das pessoas com a questão das mortes no trânsito. Campanha de baixa compreensão ética dos problemas da vida urbana. Até quando?", escreveu uma internauta.

2 comentários:

  1. Prezado Dr. Simão Jatene,
    Desculpa minha humilde crítica, mas quando devemos elogiar, elogiamos e quando devemos criticar também o fazemos com a mesma singeleza e isenção.
    Perdoe-me, mas a situação do meu estado do Pará não está muito bem. Vamos ter um ano de 2017 da cor cinza, e acho que um pouco da responsabilidade é sua por ter colocado pessoas em secretarias estratégicas e não ter feito um benchmark da atuação e produtividade. Por isso peço humildemente que neste último ano se ocupe em cobrar destes indicados uma atuação produtiva e pertinaz e não se conforme como o bom, pois o excelente é no mínimo o melhor a se alcançar.
    Por ter posto:
    Na SETUR, uma pessoa que quase nada fez pelo turismo no nosso estado, que insiste numa atuação retrograda e engessada, bem compatível com a sua especialidade; Na SETRAN um Empresário que tem mais afinidade com portos e só beneficia áreas de seu interesse pessoal, nada de obras relevantes para o estado; Na SEGUP um oficial preparado para a guerra e para ações afetas ao estado maior e que de segurança pública não melhorando em nada nossos índices de insegurança; Na SESPA um médico que poderia ter feito muito mais. E o pior de tudo, os gastos estão díspares do que é percebido. Ou seja, muito se gastou para pouco que se obteve. Na SEPLAN alguém que se planejou algo com certeza não foram para ações administrativas e gerenciais as quais muito se esperava que melhorassem o estado e reduzissem os gastos aumentando a produtividade e a eficiência, Na SEMAS um delegado com uma vida de atuação em outros tipos de crimes, e os crimes ambientais correndo as cegas, pois o Pará se consagrou campeão, mais uma vez no desmatamento; Na SEJUDH alguém com tantos direitos e todos os dias nossos Direitos Humanos Para Humanos Direitos são aviltados com crimes bárbaros em que a vítima é culpada por ser ela a opressora de uma sociedade de bandidos que assim ganham o direito de transgredir; .Na SEEL alguém que inaugura um complexo cujo nome do homenageado foi o ganhador da primeira medalha de ouro olímpica para o Brasil, o Tenente Guilherme Paraense, praticante de um esporte que se quer teve uma sala, um estande ou uma raia para a prática do referido esporte, fomentada pela ilustre desconhecida secretária; Na SEDUC alguém que entende muito de educação, mas, tem um desempenho reprovável, não passaria nem por segunda época quando existia; Na SEDOP 1ºuma jornalista sem conhecimento de construção civil e agora uma afilhado político, doente e sem pique para alçar grandes voos; Na SEDEME cuidando das minas e minerais e de nossa grande arrecadação com os famosos e tão noticiados “royaltys” veio mostrar que nem tudo que reluz é ouro; Na SEDAP alguém de formação marajoara que poderia ter emprestado seus conhecimentos e procurado sustentabilidade na produção animal deixou empresas pesqueiras afundarem e hoje nossos pescados são capturados por empresas do nordeste e do sul que entopem os porões de seus barcos com lucro seus estados; Na SECULT alguém que muito contribuiu com obras arquitetônicas e até mesmo faraônicas cujo forte do castelo foi restaurado sob uma visão onírica e deturpada e que em nada se parece o que seria na época que foi erguido. Cultura não é alegoria; Na SECOM alguém que não se comunica. Como dizia o velho guerreiro, que não se comunica se.....; Na SECTET alguém com um desempenho pífio como reitor, cujo conhecimento tecnológico se confunde com o literário em nada alavancou o que seria finalidade; Na SEASTER alguém que arrumou emprego no governo, mas não arrumou trabalho; Na SEAD alguém que não planejava estar lá, que não planejou o que deveria ser um plano e que executou sem administrar o planejamento. Na SEFA que realmente alavancou a arrecadação porem agindo como extrativista faltou à sustentabilidade, pois de onde só tiramos é lá que daremos por falta. Para fazer um governo condizente com seu preparo e sua competência, por favor, cobre ou troque por secretários que queiram trabalhar e engrandecer nosso estado.
    Feliz ano novo.

    ResponderExcluir
  2. Incrível essa campanha! Quem será que bolou essa campanha? O Satanás? E quem aprovou? O bom senso mandou lembrança! A gente morre e não vê tudo no Brasil!

    ResponderExcluir