segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

TRÊS PARAENSES SOMEM NO MAR AO TENTAR ENTRAR ILEGALMENTE NOS ESTADOS UNIDOS


As buscas aos 19 brasileiros se intensificam na área exibida no mapa

Três paraenses - um casal residente em Canaã dos Carajás, e um homem que mora em Rondon do Pará - estão entre os 19 brasileiros desaparecidos que estavam num barco naufragado no mar das Bahamas quando tentavam entrar ilegalmente nos Estados Unidos. Lucirlei Cárita dos Reis e Regiane dos Santos Viana são o casal que morava em Canaã dos Carajás. Ambos não mantém contato com seus familiares desde o dia 5 de novembro. 

Eles faziam parte de um grupo de pelo menos 19 brasileiros que deixou as Bahamas para atravessar de barco até Miami. Lucirlei é do Tocantins mas mora no Pará desde os 10 anos, já a esposa é paraense. Eles tinham uma microempresa que produzia material gráfico, na cidade.

A mãe de Lucirlei, Mária Cárita, mora em uma vila próximo a Xinguara, também no sudeste do estado e está preocupada com a falta de contato do filho e da nora. “Tenho falado com a mãe da Regiane, que já vive nos Estados Unidos, e com a mãe da minha neta, que é ex-mulher do meu filho e mora no Tocantins. Ninguém recebeu notícia e estamos muito preocupadas. É a primeira vez que eles tentam ir”, comenta.

A última ligação entre Maria e o filho foi muito rápida. “Ele falou com um jeito preocupado, como se não pudesse falar muito. Ele não falou comigo como falava nos outros dias, foi estranho. Achei que pudesse ser porque eles já iam embarcar no dia seguinte e a viagem é cheia de riscos, mas acho que ele já estava tendo um pressentimento de algo errado”, revela.

Ainda segundo a mãe, Lucirlei informou que quando entrassem no barco não poderiam usar o celulares e que todos ficaram sem chip de telefonia móvel. “Ele me disse que iam ficar uns cinco dias sem telefone, mas que um homem no barco daria notícias a mãe da Regiane. Isso nunca aconteceu”, conta.

Arlindo sumiu
 
Mais um paraense estaria entre os desaparecidos, Arlindo de Jesus dos Santos, morador da cidade de Rondon do Pará, no sudeste do Pará. Não há informações sobre a localização de ao menos 19 brasileiros desde o dia 6 de novembro, segundo o Ministério das Relações Exteriores.


Diplomatas brasileiros estão em contato com oficiais dos EUA e Bahamas para tentar encontrar os brasileiros. Ainda não houve registro de prisão, naufrágio ou pedido de ajuda na região do desaparecimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário