VER-O-FATO: CORONEL TROCA O COMANDO DA PM EM MORAES ALMEIDA APÓS HUMILHAÇÃO A JORNALISTA

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

CORONEL TROCA O COMANDO DA PM EM MORAES ALMEIDA APÓS HUMILHAÇÃO A JORNALISTA



A repórter fotógrafica Claudia Buss, de Novo Progresso, no sudoeste do Pará, e sua filha acusam policiais militares de abuso de autoridade ao serem abordadas em uma blitz quando retornavam do distrito de Moraes Almeida. Segundo relato do jornal "Folha do Progresso", daquele município, ambas "foram humilhadas pelos PMs". A repórter disse que só faltou ser agredida e presa. "A humilhação foi grande”, desabafou Cláudia.

O marido de Cláudia, o também repórter fotográfico Jorge Tadeu, registrou a denúncia de abuso de autoridade no comando da Polícia Militar em Itaituba, ao o distrito de Moraes de Almeida é subordinado. De acordo com a narrativa, Claudia Buss estava a trabalho em Moraes Almeida, distante 100 quilômetros de Novo Progresso, quando ela e sua filha, menor de idade, foram paradas em uma blitz da PM, na rodovia BR-163 (Santarém-Cuiabá), na manhã de quinta-feira, dia 01 de dezembro.

No momento da abordagem policial, a filha de Cláudia pegou o celular para gravar a ação dos PMs e os militares reagiram com arrogância e estupidez. A jornalista conta ter sido "xingada, humilhada e ameaçada de prisão". Um dos PMs se aproximou do veículo da fotógrafa, pediu os documentos do carro e pessoal. Ao ver, porém, a filha dela com o celular , ameaçou e começou a humilhação.

Cláudia alegou que estava trabalhando e achou um absurdo a forma como foi tratada pelos PMs, que exigiram que ela desligasse o celular. Procurado pelo jornal "Folha do Progresso", por meio do whatsapp, o sargento Façanha, comandante de Moraes Almeida, declarou que a denúncia não procedia. "Quem tem boca fala o que quer, mas tem que ter provas, do contrário vai responder na justiça". Ele disse ainda que havia acionado a associação e que advogado estão tomando providencia sobre o caso.


Troca de comando


Após abrir sindicância para apurar os fatos, o coronel Roberto Coracy Santos da Silva, comandante do CPR-X, em Itaituba, determinou a troca de todo comando da guarnição da Policia Militar de Moraes de Almeida. Havia também outras denúncias contra os militares e a atitude tomada por eles contra Cláudia Buss foi o estopim que provocou a mudança. A guarnição da PM estava sob o comando do sargento Feitosa.


O coronel estava de posse de uma gravação de áudio em que o esposo da vitima denunciou o sumiço de uma quantia correspondente a R$ 300 que estava no veículo da fotografa. Ele abriu outra sindicância a fim de apurar os fatos e nomeou o PM Rodrigo Cássio Monteiro dos Santos para apresentar um relatório dentro de 15 dias.

Outro lado


O sargento Feitosa , ex-comandante da guarnição de Moraes Almeida, registrou o caso na Policia Civil de Novo Progresso. Para ele, não houve abuso de autoridade, nega as acusações do esposo da fotógrafa, e diz que ao abordar o veiculo HB20, de cor vermelha dirigido por Claudiane Lucineide Bus e sua filha, "seguiu os ritos normais de uma abordagem policial".

Feitosa disse que não houve revista no veículo, que ao abrir a porta do carro e verificar que tinha material de trabalho, material frágil de ornamentação no banco traseiro, não revistou o veículo e que ela ao apresentar um documento de auto escola, mandou que seguisse viagem. O sargento também comentou com jornal "Folha do Progresso" que pretende acionar a fotógrafa Claudiane e seu esposo Jorge Tadeu na Justiça. (Fonte: jornal Folha do Progresso).


Veja abaixo a portaria de mudança do comando da PM em Moraes Almeida:
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário