VER-O-FATO: AS CURTAS, EXCLUSIVAS E VENENOSAS DO BLOG

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

AS CURTAS, EXCLUSIVAS E VENENOSAS DO BLOG

Maniçoba no TRE (1)

É grande o "frisson" no Tribunal Regional Eleitoral às vésperas do julgamento dos recursos do prefeito Zenaldo Coutinho contra a cassação da candidatura dele pelo juiz Antonio Von Lohrmann Cruz por conduta vedada, compra de votos e uso da máquina pública. O redator da coluna andou ontem pelos corredores do Tribunal e sentiu cheiro de maniçoba no ar. E não era da vizinhança.

Maniçoba no TRE (2)

Enquanto os juízes que vão julgar Zenaldo mantém-se reservados e calados, os advogados do prefeito agitam-se na derradeira tentativa de reverter a cassação. Um advogado que atua no eleitoral, mas transita bem longe da causa do prefeito tucano, foi incisivo no comentário: "o Zenaldo não tem escapatória, as provas são contundentes". Mas logo advertiu: "não esqueça, porém, que o boi pode voar". E saiu de fininho, rumo à Praça da Bandeira.

Circo na Alepa

Chega a ser deprimente o esforço do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Márcio Miranda, ao convocar sindicalistas e dirigentes de movimentos sociais para discutir às pressas o pacotaço do governador Simão Jatene. Miranda sabe que os temas desse colossal embrulho exigem tempo e ampla discussão, mas armou um circo de horrores para aprovar o projeto de qualquer maneira. Não há dúvida: o Executivo manda e desmanda no Legislativo estadual.

Tiro no bolso

Aliás, o pacotaço do governador Simão Jatene, que ele mesmo define como “amargo”, é um arranjo de foco perverso para conter a crise. Ele poupa o mais rico e mira naquele que não pode se defender: o mais pobre. Um exemplo é o aumento da carga tributária do ICMS, que passaria de 17% para 18%. Jatene quer dar um tiro certeiro para arrecadar R$ 200 milhões em 2017. Vai acertar somente o bolso do contribuinte, já baleado pela crise. Esse é o modo tucano de governar.


Jatene tem peito?

Quem entende de imposto e sabe o peso dessa facada nas costas da população é Antonio Catete, o presidente do Sindicato dos Servidores do Fisco do Estado (Sindifisco Pará). Ele propõe que Jatene, em vez de aumentar a alíquota do ICMS, faça uma “reavaliação dos benefícios fiscais existentes e revogue os que não apresentarem eficácia comprovada”. Por ano, o Estado deixa de arrecadar R$ 1,3 bilhão com a renúncia fiscal. Catete defende que, caso sejam revogados 15% do montante renunciado, o governo arrecadaria R$ 195 milhões. A coluna pergunta: por quê Jatene não faz isso? Não tem coragem?

Mão na cumbuca

É claro que o governador não quer mexer onde deveria. Se é para combater a crise, ele não pode olhar numa única direção. Dentro do próprio governo daria o exemplo de austeridade caso reduzisse o número de secretarias, das atuais 29 para 15, como também sugere Antonio Catete. Com essa iniciativa haveria grande economia no gasto de cargos comissionados e temporários. Os aliados políticos de Jatene iriam chiar, mas e daí? A extinção dessas secretarias não faria a menor falta. Só os apaniguados do poder iriam chorar.

Jader e o filho

O senador Jader Barbalho não mete prego sem estopa. O pronunciamento dele na tribuna do Senado, anteontem, é um primor de dissimulação. O discurso não foi apenas para defender o presidente Michel Temer, menos ainda para denunciar "golpe", ou atirar farpas em direção a FHC. Ele quis, e conseguiu, consolidar o próprio filho, Helder, como o grande interlocutor do presidente da República. Quem não viu isso deve estar usando óculos receitado pelo ex-prefeito Duciomar Costa.

Quebra pau

Caciques do PT paraense querem expulsar o militante Diógenes Brandão porque este tem criticado o apego de alguns por cargos públicos federais em plena era do "fora Temer". Para Brandão, esse tipo de fisiologismo agrava a crise na qual o partido mergulhou. Como a direção se recusa a fazer autocrítica dos erros, quem se atreve a fazê-lo sofre ameaças e coisas piores.

Larga a boca

Todo mundo sabe por estas bandas que o PT saiu do poder, em Brasília, mas no Pará continua a usufruir das benesses federais, embora nas ruas, durante manifestações contra Temer, o que mais se vê são os detentores de cargos a puxar palavras de ordem. A mesma coisa ocorre com o PC do B. Os petistas Paulo Rocha e Beto Faro mantém seus currais na Sudam, SPU, e Evandro Chagas, dentre outros. Sob as bençãos de Jader e Helder, é lógico.

Fome de cargos

Por outro lado, uma briga de foice domina a Companhia de Pesquisas de Recursos Minerais (CPRM) no Pará, segundo uma fonte da coluna. Quem dá as cartas no órgão, subordinado ao Ministério das Minas e Energia, é o deputado federal Wladimir Costa (SD), que indicou para a superintendência o advogado Jânio Nascimento. Resumo da ópera: outras diretorias e cargos foram preenchidos por pessoas que nada entendem de geologia. Os que atuam no órgão há vários anos se queixam de desentrosamento com os “estrangeiros”. Wlad faz cara de paisagem.

Macacos me mordam

Há algo de podre no reino do Centro Nacional de Primatas, em Ananindeua. Dos mais de 500 macacos que lá vivem, pelo menos 20 já morreram em pesquisas mal sucedidas do Instituto Evandro Chagas. Uma fonte relata que a falta de manutenção nas jaulas tem contribuído para a má qualidade de vida dos macacos. Alô, MPF, está na hora de agir.

5 comentários:

  1. Sua afirmação sobre o PCdoB manter cargos no governo golpista de Temer é de uma irresponsabilidade para não dizer leviana.
    Espero que tenha confiança na sua fonte.

    ResponderExcluir
  2. A fonte não falha, meu caro anônimo. Aliás, aproveite a ocasião e saia da moita do anonimato, mostre a cara, e identifique-se para que o debate seja saudável. Ofender não é uma boa.

    ResponderExcluir
  3. Carlos Mendes, o bloguista Diogenes, que atende pela alcunha de dimi nigth, não esta sendo julgado na Comissão de ética do PT por ser o defensor dos principios petistas, pelo contrário, ele já foi punido com o afastamento do diretorio estadual de forma consensual e será expulso se a CE assim concluir, por que no segundo turno das eleições este sr. vendeu-se por 30 moedas para a campanha do prefeito cassado Zeraldo Pouquinho. Ele não tem a confiança dos dirigentes do PT e usa a tática de achaque que ficou popular através das ações de um certo dep federal que envergonha o Pará, como forma de conseguir contratos.
    Como não deu certo sua ação, saiu pela direita e hj faz o jogo sujo de seus patrões. Espero que vc não apague meu comentário como Dimi fez para evitar que as pessoas saibam os reais motivos de sua expulsão.

    ResponderExcluir
  4. Amigo Carlos.a respeito do CPTM.o deputado que endicou o Dr.Janio foi Éder Mauro que já colocou Manfredo Gimenes a toque de caixa.Wladmir Costa não tem poder algum no orgão.está preocupado é com seu mandato que está por um fio.essa ordem de tirar todos os Petista do CPRM.vem do proprio Michel Temer

    ResponderExcluir
  5. Bom dia!
    Vou fazer uma conta para as pessoas que acham que as empresas não devem ter benefícios fiscais.

    Vamos fazer as contas para uma empresa com 100 funcionários e levar em consideração as duas informações abaixo:
    1° Media salarial da empresa R$ 1300
    2° Em média cada colaborador possui uma companheira e 2 filhos total de beneficiários 4 pessoas em média (3 pessoas assistidas)
    Vamos as contas:
    Folha de pagamento da empresa : 100*R$1.300 = R$ 130.000 uhuhuh
    Levando em consideração somente o nosso ICMS do que compramos o estado recebe de volta 10% de impostos
    1° ganho do estado R$ 13.000
    Vamos para a área da saúde como a empresa fornece o plano de saúde (unimed ou hapivida) e levando em consideração que 3 pessoas são beneficiadas o estado deixa de atender pelo SUS 300 consultas e internações ano pois as mesmas são atendidas nas unidades destes planos correto
    2° ganho do estado R$ 300 pessos* R$ 500 valor do custo de internação =R$ 150.000
    Cada 100 empregos direto são gerados 10 empregos indiretos (empresa prestadoras de serviço, guarda patrimonial) em média esses salários são de R$ 900 Levando em consideração somente o nosso ICMS do que compramos o estado recebe de volta 10% de impostos
    Folha de pagamento da empresa : 10*R$900 = R$ 9.000
    3° ganho do estado R$ 900
    Em media 10% dos colaboradores tem uma média salarial um pouco maior girando em torno de R$ 3.000 estes colacam seus filhos em escolas particulares um aluno na rede publica custa em média R$ 2.200 ano
    4° ganho do estado R$ 10*2.200 = R$22.000
    TOTAL 13.000+150.000+900+22.000 = R$185.900
    Aqui não estão inclusos as taxas que uma empresa paga iptu ,alvará etc pois vão para o município e não para o estado
    Então quanto mais empresas tivermos com incentivos melhor e para o estado o estado não perde quem ganha e o povo, senhores ai vai um pergunta para o reporte investigativo, cidades mais industrializadas tem melhor idh?
    Senhores vamos usar a cabeça e fazer contas para de ideologia furadas que nada se aplica aos tempos atuais!!!

    att pablo Xavier

    ResponderExcluir