VER-O-FATO: JUSTIÇA FEDERAL DO PARÁ MANDA PRENDER 18 POR ENVOLVIMENTO COM TRÁFICO DE DROGAS

terça-feira, 8 de novembro de 2016

JUSTIÇA FEDERAL DO PARÁ MANDA PRENDER 18 POR ENVOLVIMENTO COM TRÁFICO DE DROGAS

Para o juiz Rubens Rollo, o tráfico de drogas representa hoje o "caos social"

A Justiça Federal determinou, nesta terça-feira (08), a prisão de 18 pessoas suspeitas de pertencer à possível existências de quadrilha que estaria adquirindo entorpecentes e insumos químicos de distribuidores baseados nas fronteira do Brasil com a Colômbia e Bolívia. Além de cumprir os 18 mandados de prisão preventiva (sem prazo para revogação) expedidos pelo juiz federal Rubens Rollo D'Oliveira, da 3ª Vara, a Polícia Federal também fez a condução coercitiva de outras sete pessoas, levadas até a sede da PF para apresentar esclarecimentos, sendo liberadas logo a seguir. Os mandados foram cumpridos nos Estados do Pará, Pernambuco, Maranhão e Amazonas.

A Polícia Federal informou ao juízo que as investigações começaram a partir da descoberta de importação de produtos químicos que servem de insumos para a transformação do alcaloide presente na folha de coca para a forma final comercializável da cocaína (pó ou pasta-base). Para tal processo químico, são necessários vários produtos químicos com venda controlada, como ácido sulfúrico, acetona e permanganato de potássio, entre outros.

As cargas de insumos químicos utilizados para o refino da cocaína estavam sendo remetidas, segundo a Polícia Federal, para o endereço de um homem em Belém, que seria o principal fornecedor de produtos químicos para os demais traficantes que se relacionavam. Para identificar os envolvidos e definir a forma como vinham operando, foi instaurado inquérito policial subsidiado por interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça Federal.

Acrescentou a Polícia Federal que "o grupo vem atuando de forma reiterada no tráfico de drogas, sendo necessária adoção de medidas tendentes a desarticular o grupo criminoso investigado, através da prisão preventiva de seus integrantes, com vista ao término de suas atividades criminosas."

Caos Social

Em sua decisão, o juiz federal Rubens Rollo destacou "que o crime de tráfico de drogas tem sido uma grande preocupação da sociedade, o que enseja um tratamento rigoroso por parte do Estado." Disse ainda que "tal crime vem assolando de forma lamentável as relações sociais, podendo ser considerado o grande caos social dos tempos modernos, por arrastar consigo uma legião de dependentes químicos e psíquicos, promovendo, com isto, a destruição do ser humano, da família e da própria sociedade."

Para demonstrar a existência da materialidade dos crimes investigados pela PF, a 3ª Vara Federal mencionou a apreensão, em maio deste ano, na agência da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), de 16 quilos de cafeína, produto químico sujeito a controle e fiscalização da Polícia Federal, uma vez que constitui insumo utilizado na elaboração de cocaína. A importação, exportação, aquisição, depósito, transporte ou guarda do produto, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, configura crime.

Outra prova material citada pelo magistrado foi a apreensão, em junho deste ano, de 26 quilos de cocaína, transportados por um dos homens presos nesta terça-feira. Rubens Rollo usou elementos colhidos nas interceptações telefônicas autorizadas para demonstrar a existência de indícios suficientes de autoria em relação às 18 pessoas que foram presas pela Polícia Federal, além de fatos que justificaram a condução coercitiva das outras sete. Fonte: assessoria de imprensa da Justiça Federal em Belém.

2 comentários:

  1. Só fogo de palha. Dentro de dias, manda soltar todos, que retornam para os mesmos locais onde comercializam a droga e fica isso por isso mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Na verdade o tráfego de drogas são a ramificações das Políticas Públicas mal elaborada pelo Poder Público, em um País que não leva à sério a Constituição,onde só visa status e apoia a corrupção,deixando selado a verdade,a Ética e a Moral

    ResponderExcluir