VER-O-FATO: OS ELEITOS DO BLOG

terça-feira, 18 de outubro de 2016

OS ELEITOS DO BLOG

 

Nada de Zenaldo ou Edmilson. Nada de segundo turno em Belém. Nada de  notícias ou comentários. O lance é outro. Mas eu vou falar de eleição, ou melhor, de seleção. A seleção dos melhores do blues, os fantásticos. Uma gravação recuperada e remasterizada de um festival da CBS TV, em 1966. 

Ouça e veja com atenção Muddy Waters, Willie Dixon, Sunnyland Slim, Sonny Terry & Brownie McGhee, James Cotton, Mable Hillary e Otis Spann.

Todos negros, cantando e tocando. Piano, harmônica, baixo, violão, guitarra. Vale a pena ouvir. Eles já se foram para o andar de cima, mas suas vozes e harmonias são eternas e nos ajudam a alimentar nossas almas de alegria cada vez que os ouvimos.

Não tocam nas rádios de Belém - só na Sintonia Web, a radio do blog Ver-o-Fato, no programa "Rádio Blues, toda segunda-feira, de 9 às 11 da noite". 

Clique em cima do vídeo e ouça, com fone de ouvido, para sentir melhor a harmonia e o som maravilhoso. 

Esses já estão eleitos ! 

O que é o blues
"Blues". Logo de cara, podemos definir esta palavra como "triste", "tristeza" ou até mesmo "melancolia". Uma definição completa e exata do Blues é muito difícil, eu diria que é até impossível, pois se ele é um gênero musical, foi também muito mais do que isso para o povo negro que o criou, povo este tão sofrido e que encheu o nosso mundo de arte.

Historicamente falando o Blues surgiu quando os escravos das fazendas de algodão que acompanhavam as margens do rio Mississipi no sul dos Estados Unidos, por volta de 1870, criavam e cantavam melodias lentas e chorosas, que além de marcar o ritmo, mostrava a expressão e o contorno de um povo desprezado, discriminado e sofrido.

É verdade também que a expressão "The Blues" não se popularizou antes da Guerra Civil Americana. Universalmente aceito, admirado e reconhecido em toda a parte como uma fonte maior de influência da música popular contemporânea, ativando novas vocações no mundo inteiro, o Blues deixou de ser verdadeiramente popular entre o povo negro-americano que o criou. 

No começo o Blues representava intrinsecamente a expressão da cultura musical de uma minoria, isto é, a população negra norte- americana. Simples, sensual, irônico e poético o blues era realmente um reflexo positivo do digno negro americano.

De fato, o Blues nasceu com o primeiro escravo negro da América. Da África os negros trouxeram sua expressão vocal básica, os hollers, os gritos de entonação estranha que cortavam o céu do Delta. O Blues em essência é a música dos negros levados da África para os Estados Unidos, para trabalhar como escravos nas plantações de algodão no sul do país. Objetivava amenizar o sofrimento destes trabalhadores e também lembrá-los de sua origem.

No seu desenvolvimento, porém, sofreu influências não só africanas, mas também das mais tradicionais baladas européias e marchas militares. Como estilo musical, o Blues evoluiu a partir do século passado. Surgiram pequenas variações estilísticas, algumas determinadas apenas por diferenças geográficas.

Cada região região tinha o seu expoente do blues; alguns exemplos são o Delta blues (o blues de raiz do delta do Mississipi acústico), o blues de Chicago (a fusão entre o blues acústico do Delta e a introdução da guitarra elétrica no blues) e o Texas Blues (um blues elétrico e rápido). A depressão de 1929 ocasionou novas diversificações estilísticas no Blues.

Milhares de negros desempregados saíram do sul e migraram para o norte em busca de trabalho, principalmente nos grandes centros industriais como Chicago e Detroit. Desenvolveu-se assim, uma diversificação entre o Blues do Delta do Mississipi, o chamado Blues rural do sul e o Blues urbano do norte. 

Este último centralizado na cidade de Chicago. O Blues de Chicago cresceu em clubes fechados e bares, tornando-se mais estridente, eletrificado, e dissonante que o tradicional Blues acústico do sul. Com o som de Chicago teve início a utilização de guitarras, teclados, percussão e baixo para acompanhar os cantores.

O estilo próprio de Chicago evoluiu ainda mais com a chegada no período pós-guerra de vários cantores. Categorizar o Blues por personagens que fizeram e fazem sua história é tarefa árdua para qualquer amante do gênero. O ciclo dos Deuses começa no Delta do Mississipi e desemboca em Chicago, Detroit, em algum lugar do Texas e até mesmo no Brasil...

"As pessoas costumam me perguntar onde surgiu o Blues, e tudo o que posso dizer é que quando eu era rapaz, sempre estávamos cantando nos campos. Na verdade não cantávamos, você sabe, gritávamos, mas inventamos as nossas canções sobre coisas que estavam acontecendo conosco naquele momento e acho que foi assim que começou o Blues."

Son House,
o poeta do Blues que cantava canções profanas e religiosas com a mesma força, volúpia e intensidade! (1902-1988)

Nenhum comentário:

Postar um comentário