VER-O-FATO: OS PREFERIDOS PRETERIDOS

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

OS PREFERIDOS PRETERIDOS



Francisco Sidou - jornalista

O caudilho Magalhães Barata, que mandou no Pará durante mais de 20 anos, nas décadas de 40 e 50, costumava dizer que "Lei no Pará é potoca"...Pensei nisso enquanto aguardava pacientemente por quase duas horas para ser atendido na agência Belém (Centro) do Banco da Amazônia na tarde de sexta-feira, 02, com senha dita "preferencial". 

Existe uma Lei Federal (10.048, de 08/11/2000), que determina que certos humanos devem ter um atendimento preferencial, quais sejam: idosos com mais de 60 anos, pessoas com deficiência, gestantes, lactantes e as pessoas acompanhadas com crianças de colo para evitar longas esperas nas filas. Na prática, porém, a fila preferencial é mais lenta que a de pessoas "normais"...

As instituições deveriam organizar duas filas, porém qualquer dos caixas deve estar apto a atender os preferenciais, ou seja, estes sempre irão passar na frente daquele que está na fila normal, não devendo haver caixa específico para esse fim. Esse é o "espírito" da lei, que virou fantasma.

Como se não bastasse, existe também outra lei, esta municipal, estabelecendo que o tempo máximo de espera em filas de banco não deve ultrapassar 20 minutos..(risos) .

Lei, por sinal, que parece ser irmã gêmea de outra lei municipal, recentemente sancionada pelo prefeito de Belém, estabelecendo que "todos os lugares dos ônibus são preferenciais "..., cabendo aos motoristas e cobradores zelarem pelo seu fiel cumprimento".. (risos novamente).

Nenhum comentário:

Postar um comentário