VER-O-FATO: "NUNCA VI CRISE IGUAL A ESTA", DIZ GARÇOM DE CHURRASCARIA VAZIA EM PLENO DOMINGO

domingo, 4 de setembro de 2016

"NUNCA VI CRISE IGUAL A ESTA", DIZ GARÇOM DE CHURRASCARIA VAZIA EM PLENO DOMINGO

Aqueles que perderam o poder e seus privilégios, e hoje bradam em algumas poucas avenidas do país toscas palavras de ordem contra antigos aliados que ajudaram a eleger, deveriam refletir sobre o que me disse agora há pouco um garçom que há 26 anos trabalha em conhecida churrascaria da rodovia Augusto Montenegro:

"Nunca vi crise igual a esta, estou com muito medo. Alguns amigos que comigo aqui trabalhavam já foram demitidos. Se até dezembro não melhorar, acho que serei o próximo".  E completou: "três churrrascarias em Belém já fecharam as portas em dois meses por falta de clientes".

De fato, por volta das 13:15, quando normalmente havia filas do lado de fora e distribuição de senhas a quem pretendia um lugar, o cenário desolador dentro da churrascaria era o que revela a foto abaixo.  

Um comentário:

  1. É preciso que se faça uma análise econômica, financeira e cultural dessa situação! Primeiro econômica, pois os preços dos alimentos de fato estão bem "salgados", porém acho que a financeira e cultural são mais graves para essas empresas. Empresas que ao longo do tempo não investiram um centavo sequer em estudos e implementação de ações de formação de preço e análise de custos, sempre se aproveitaram da Grande demanda reprimida por esses serviços o que acaba por gerar uma "cultura" de preços altos porque sempre souberam que tem demanda. Não obstante hoje constatamos a abertura de "pequenos" empreendimentos que praticam um preço justo, o que acaba por diminuir a freguesia desses "grandes" empreendimentos. Já vistes a quantidade de "pequenas"churrascarias espalhadas pela cidade? Empresarios invistam em consultorias, estudem seus negócios, parem de só criticar, ponham a mão na consciência e reflitam se de fato estão acompanhando as mudanças econômicas e culturais pelos quais a sociedade passa! Será que a "geração saúde" está disposta a pagar uma fortuna por um produto que os nutrologos insistem em dizer que não faz nem a saúde? Qual a alternativa pra isso? Pensem um pouco!!!!!

    ResponderExcluir