VER-O-FATO: IBOPE, EM NOTA, REBATE POSTAGEM DO BLOG SOBRE PESQUISA DE ELEIÇÃO EM BELÉM

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

IBOPE, EM NOTA, REBATE POSTAGEM DO BLOG SOBRE PESQUISA DE ELEIÇÃO EM BELÉM


O Ibope Inteligência enviou ao Ver-o-Fato uma nota na qual rebate a postagem ontem aqui publicada sob o título "O Ibope faz e acontece: Zenaldo saiu do inferno eleitoral e entrou no céu". Veja a íntegra da nota, enviada pela assessora de imprensa do Ibope, Rose Guirro:

"Ao site
Ver o Fato

Ao contrário do que diz a matéria “O IBOPE FAZ E ACONTECE: ZENALDO SAIU DO INFERNO ELEITORAL E ENTROU NO CÉU”, a pesquisa do IBOPE Inteligência não mostra queda de nenhum candidato, mas sim oscilações dentro da margem de erro da pesquisa, Isso quer dizer que o candidato pode ter 4 pontos a mais ou a menos do que o número divulgado.

No caso do prefeito Zenaldo Coutinho foi observado um crescimento de 9 pontos percentuais de uma pesquisa para outra, assim como há uma percepção de melhora na sua avaliação.

É importante ressaltar que a opinião pública é dinâmica e responde aos estímulos que recebe das campanhas eleitorais.

Para entender melhor como é feita uma pesquisa eleitoral, sugerimos a leitura deste infográfico: http://ibopeinteligencia.com/noticias-e-pesquisas/infografico-como-e-feita-uma-pesquisa-eleitoral/

IBOPE Inteligência
Comunicação Institucional

Contato: imprensa@ibopeinteligencia.com"

Resposta do blog: as "oscilações dentro da margem de erro" de que fala o Ibope Inteligência precisam ser melhor explicadas ao grande público, sobretudo aos leitores do Ver-o-Fato. É preciso que o Ibope diga que a margem de erro, de 4 pontos para mais ou para menos, é uma escolha do contratante, no caso a TV Liberal. É ela quem define isso, daí o Ibope ter ouvido 602 eleitores num universo de mais de 1 milhão de eleitores registrados em Belém. 

Se a TV Liberal quissesse que a margem de erro fosse de 3 pontos para mais ou para menos, o Ibope teria de ouvir 1.065 eleitores; se fosse de 2 pontos, ouviria 2.390 e, por fim, se fosse de 1 ponto, teria de ouvir 9.423 pessoas, e assim por diante. Essa é a fórmula estatística criada pelo Ibope e usada em todas as pesquisas.

A TV Liberal não escolheu os 4 pontos para mais ou para menos apenas para pagar uma pesquisa mais barata, mas porque isso se adequa mais ao seu interesse de "puxar a brasa da sardinha" em favor de Zenaldo, o candidato da "casa".  Dizer que Zenaldo está tecnicamente empatado com Eder Mauro, como aponta a pesquisa, foi a intenção. Poderia também dizer que, dentro da margem de erro, Zenaldo atinge 24%, enquanto Eder Mauro tem 28%. Mas, pergunta-se: a TV Liberal e o grupo ORM divulgariam isso? Isso faz diferença na avaliação do público, mas jamais é divulgado. 

O Ibope diz que a opinião pública "é dinâmica" e que "responde aos estímulos que recebe das campanhas eleitorais". Quanto a isso, há controvérsias, porque muitos eleitores se deixam influenciar pelas pesquisas, optando até por votar no candidato que está na frente ou que subiu e pode ganhar a eleição.

Outra coisa: O Ibope deveria mandar para o blog os bairros onde sua pesquisa foi realizada para que se faça uma análise mais detalhada dos resultados.

5 comentários:

  1. O blogueiro deu um nó de marinheiro no Ibope égua da cassetada!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Carlos, acho que você deve conversar com um estatístico neutro para esclarecer esses pontos. Em tempo, parte dos esclarecimentos que você busca devem, vou insistir, devem ter sido entregues ao TRE como, por exemplo, bairros, composição da amostra, e outros dados que por certo que fornecerão mais informações. Finalmente, desejo insistir que não me interessa se este ou aquele candidato tem ou não tem o percentual indicado. Desejo apenas que os procedimentos estatísticos foram seguidos a risca.

    ResponderExcluir
  3. Boa noite. Tenho a íntegra da pesquisa. A identificação dos locais onde houve a pesquisa seria apenas um complemento, mas o que importa são os dados divulgados, amparados numa metodologia que serve ao gosto do freguês.

    ResponderExcluir
  4. Os isentos "procedimentos estatísticos" supostamente adotados na íntegra, pelo IBOPE, já se mostraram, historicamente, falhos e claramente direcionados. A colocação do blogueiro, quanto a "opção" de maior ou menor margem de erro, tem precisão cirúrgica, já direcionam um eleitorado pouco esclarecido e que, sofridamente, ainda alimenta a opção de voto no candidato que "vai ganhar", como forma de "não perder seu voto". Isso é reflexo da minguada cultura eleitoral e baixo grau de ensino e politização social, do eleitorado de massa (mas não somente deste), que por vezes faz parecer que o voto, significa muito menos do que deveria (ferramenta de transformação social), para se tornar "aposta em cavalo de corrida", onde a emoção pela disputa do "páreo", toma lugar da consciência social. Ao tempo e ao cabo, pesquisas como esta, servem apenas para estampar a capa do jornal da "contratante", em benefício de seu candidato.

    ResponderExcluir
  5. Vê-se com muita clareza que Belém involui nos últimos 40 anos a merce dos impasses/interesses de dois grandes grupos empresarias (para não ser mais específico), todavia, desta vez está discrepante a interferência da "máquina" diante a participação maquiavélica do IBOPE, que em menos de 10 dias já mostrou pro que veio! Contudo, compreendo que, ainda que eles tentem comparar o mundo na tentativa de manipular a opinião popular, dessa vez não rola - votos se consolidam para outros 09 candidatos e nesse ambiente não há espaço para os percentuais necessários para o beneficiário disso tudo. Creio eu em Deus que é o mais forte e único Rei do universo, que Belém será mais livre, e que esta campanha terá um 2º turno exclusivamente de pessoas que, pelo menos, diretamente, até onde se vê, não pertencem a nenhum dos dois grupos empresariais oligárquico - pq o Brasil está mudando e Belém fará o mesmo BzH.
    Parabéns mais uma vez ao Carlos Mendes que sempre se coloca de maneira imparcial e firme sobre a sua lógica equilibrada e proativa à informação.

    ResponderExcluir