VER-O-FATO: CONCURSADOS REPUDIAM ATAQUE DE LULA

sábado, 17 de setembro de 2016

CONCURSADOS REPUDIAM ATAQUE DE LULA

Em nota enviada ao Ver-o-Fato, a Associação dos Concursados do Pará (Asconpa) responde à comparação injuriosa feita anteontem pelo ex-presidente Lula em entrevista a emissoras de televisão e rádio, a pretexto de rebater denúncias de corrupção feitas contra ele pelo Ministério Público Federal (MPF). Eis a nota, na íntegra, assinada pelo presidente da Asconpa, José Emílio Almeida:

"A profissão mais honesta é a do político. Por mais ladrão que ele seja, todo ano ele tem que ir pra rua tentar voto. O concursado, não, faz uma faculdade, e tem emprego garantido para o resto da vida”. (Luiz Inácio Lula da Silva).

A Associação dos Concursados do Pará repudia com veemência as palavras ofensivas, proferidas pelo ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, referindo-se aos servidores públicos concursados, em discurso ocorrido nesta quarta-feira, dia 14 de setembro de 2016, em São Paulo.

Ao tentar comparar os concursados a políticos, Lula insulta milhões de cidadãos e cidadãs, que, graças a seus próprios esforços e muita dedicação, conseguiram chegar ao serviço público. As palavras do petista os desqualifica moralmente perante a nação.

A declaração feita por Lula não foi gratuita e tem a clara intenção de desmoralizar os servidores públicos concursados e enfraquecer sua luta, colaborando para os ataques de Temer aos serviços públicos operados pelos PL 257 (de autoria do executivo sob o comando de Dilma) e a PEC 241, que visam cortes em investimentos que afetarão desgraçadamente a manutenção e desenvolvimentos de Políticas Sociais Públicas, como saúde e educação.

Lula é um traidor. O homem que, antes representou a esperança para milhões de brasileiros, não passa hoje, de uma grande frustração.

Representante de banqueiros e empreiteiros, Lula traiu os trabalhadores, tão logo assumiu a Presidência da República, em 2003, quando impôs a Reforma da Previdência, atacando os direitos dos aposentados e expulsando do seu partido, o PT, os parlamentares que se opuseram ao seu programa nefasto.

Ao contrário do que tenta fazer crer, vale a pena estudar, passar em concurso e assumir a vaga conquistada, sem depender de políticos.

Ao contrário do que pensa Lula e seus cúmplices, quem consegue um emprego no serviço público, através de aprovação em concurso, não precisa vender a alma ao diabo, nem cercar-se de ladrões, como fez o ex-presidente petista.

Instituído na Constituição de 1988, o concurso público veio para democratizar o acesso ao emprego público. Antes, para conseguir um emprego no serviço público era preciso a indicação de políticos e governantes, o que permitia aos coronéis da política total domínio sobre o funcionalismo. 

Em período eleitoral, os votos dos servidores públicos garantiam a suas reeleições. Estas distorções ainda ocorrem nos dias de hoje, praticadas por muitos políticos e governantes, mas sem respaldo legal.

Como bem disse o vereador Babá, do PSOL Rio de Janeiro: "Comparar servidores concursados a políticos corruptos é coisa de 'reaça', que é o que Lula se tornou".

A Associação dos Concursados do Pará seguirá incentivando a população a ingressar no serviço público, mantendo a luta pelas nomeações dos aprovados em concursos promovidos pela administração pública".

3 comentários:

  1. Os concursados não deveriam polemizar com um ladrão. Dar voz a um ladrão como ele bem se definiu e inutil e vazio. Ladrão é um demente, concursado é um estudioso. A midia não deveria mais publicar nada sobre Lula,ele,seu partido e seus aliados estão levando o país a falência, pois são um bando de ladrões como o proprio Ali LuBada revelou.Até quando vamos ter coragem para mudar isso tudo não sei.O descarado escancara o procedimento dele e de seus pares e cadê o STE, os TRE da vida , porque não se manifestam? sabendo que estamos cercados de Lulaus por todos os lados?

    ResponderExcluir
  2. Esse sujeito é um fora da lei acostumado com métodos fora da lei. Portanto, seria fora de propósito que ele aceitasse um concurso como forma de escolher os mais bem preparados. Bem feito para aquela turma que vivia enaltecendo o fato de ele ser um operário e chegar a presidência da república sem ter um diploma. Agora, está claro porque ele sempre colocou em destaque esse ponto. Ele era, é e sempre será um fora da lei.

    ResponderExcluir
  3. Esse lularápio é indecente!

    ResponderExcluir