VER-O-FATO: EM TAILÂNDIA, A POLÊMICA DA NOITE: MOTOTAXISTAS CONTRA GUARDAS NOTURNOS

domingo, 24 de julho de 2016

EM TAILÂNDIA, A POLÊMICA DA NOITE: MOTOTAXISTAS CONTRA GUARDAS NOTURNOS



Os mototaxistas de Tailândia acusam os guardas noturnos de concorrência desleal


A polêmica já existe em Palmas (TO) e agora chegou ao Pará, mais precisamente ao município de Tailândia - segundo relata em sua página no Facebook o sempre antenado com os fatos, Reinaldo Araújo. Ela diz respeito às viagens que os vigias, ou guardas noturnos, que rodam pela noite nos bairros mais distantes, fazem levando em suas motocicletas os que necessitam de transporte para chegar a seus lares.

Os mototaxistas acusam os vigias de cobrarem preços inferiores à tabela da categoria, provocando uma concorrência desleal. O problema é que nas madrugadas há poucos mototaxistas nas ruas, do que se aproveitam os vigias noturnos para faturar alguns trocados. Só que há um detalhe: os mototaxistas têm licença da prefeitura para atuar, pagam seus impostos e se dizem prejudicados pelos vigias. Já os vigias, nada pagam para fazer esse tipo de serviço, mas alegam que seus serviços são requisitados pela população.

"Sabemos que os mototaxistas trabalham muito durante o dia inteiro, num trabalho desgastante, pois rodam num sol e numa temperatura nada agradável e, claro, precisam descansar à noite. O problema é o cidadão que precisa se deslocar para algum lugar de madrugada, como hospital e terminal de ônibus ou das vans, enfim", observa Reinaldo Araújo.

E completa: "o errado é que os mototaxistas são treinados para esse tipo de transporte, os vigias, não. Mas o cidadão que precisa se deslocar não tem nada a ver com isso". Para Araújo, isso tudo é culpa de uma política de trânsito e transporte que não existe em Tailândia. Ele sugere que poderia haver um conselho municipal de transporte que iria planejar essa demanda, ou mesmo criar uma página ou aplicativo nas redes socais e acionar o mototaxista quando alguém, nas altas horas da noite, pudesse contatá-lo. O que não existe.

"Política de trânsito não é só pra multar, mas resolver o problema da população. Tailândia tem mais de 100 mil habitantes e essa briga de quem tá na vez (mototaxista ou vigia) não tem sentido, mas o que não pode acontecer é deixar a população que precisa de transporte na mão. Certos? Dessa vez ninguém merece mesmo", dispara Reinaldo Araújo.

Briga em Palmas

Ano passado, o Sindicato dos Mototaxistas de Palmas (TO) encaminhou um ofício à Secretaria Municipal de Acessibilidade, Mobilidade, Trânsito e Transporte solicitando uma solução para o mesmo problema que hoje provoca polêmica em Tailândia. A entidade alega que os guardas noturnos estão atuando de forma irregular e cobrando metade da tabela dos mototaxistas.

Para o presidente do sindicato, Lidemar Souza Parente, população e mototaxistas de Palmas dividem os prejuízos dessa atuação irregular. Ele acusa a prefeitura de até agora não ter tomado qualquer providência. Segundo Parente, em Palmas são mais de 100 guardas noturnos que atuam como mototaxistas. Já os mototaxistas, alcançam 250.

Em Tailândia, não se sabe quantos guardas noturnos fazem a dupla jornada de vigiar casas e estabelecimentos e, ao mesmo tempo, transportar moradores em suas motos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário