VER-O-FATO: ZENALDO MOBILIZA EXÉRCITO DE TEMPORÁRIOS E NÃO QUER OUVIR FALAR EM REAJUSTE SALARIAL

sexta-feira, 27 de maio de 2016

ZENALDO MOBILIZA EXÉRCITO DE TEMPORÁRIOS E NÃO QUER OUVIR FALAR EM REAJUSTE SALARIAL

Os servidores reclamam de salários defasados, mas o prefeito diz não ter dinheiro
 
O prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, como bom tucano que é, parece não ter tempo, nem pressa, para discutir com servidores do município qualquer pauta de reivindicação que trate de reajuste salarial de 11%, melhores condições de trabalho e segurança nas unidades de atendimento, ou o fim do sucateamento no serviço público. 
A propósito disso, o presidente da Associação dos Concursados do Pará (Asconpa), José Emílio Almeida, narra um episódio ocorrido na última terça-feira, dia 24, no ginásio da Uepa, quando seria realizada a assembleia geral unificada dos servidores da prefeitura. A assembleia foi cancelada pelas razões que Emílio Almeida passa a expor a seguir:

"A reunião tinha como objetivo discutir diversos pontos da pauta de reivindicações dos servidores, entre as quais reajuste salarial de 11%, melhores condições de trabalho e segurança nas unidades de atendimento e o fim do sucateamento no serviço público.

O motivo do cancelamento foi a presença em massa de cerca de 1.500 DAS da prefeitura, mototaxistas e comunitários, convocados pelo prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho (PSDB), para impedir que fosse deflagrada greve no município.

Com a falta de ônibus nas ruas, devido a greve dos rodoviários de Belém e da região metropolitana, apenas 200 servidores concursados da Secon, Sesan, Semec, Sesma, Ipamb e Funpapa, conseguiram chegar ao local da assembleia. Os DAS, no entanto, chegaram ao local em seis ônibus, dois micro-ônibus e 35 carros alugados pela prefeitura.

No ginásio, ao perceberem que a assembleia seria cancelada, os DAS invadiram a quadra, gritando palavras de ordem, como “Não vai ter greve!” e “Vão trabalhar, concursados vagabundos!”.

Ficou evidente que Zenaldo tem a seu dispor um imenso exército de servidores contratados, comandados diretamente por vereadores e assessores, como Bruna Lorrane, autora de uma gravação, vazada nas redes sociais, assediando, sem nenhum pudor, centenas de servidores contratados. 
Na gravação, a assessora tucana orienta os contratados a fazerem o possível para impedir a realização da assembleia, inclusive usando falsos comprovantes de contratos de trabalho em órgãos como o ProJovem, que serve como fortaleza política dos dirigentes do PSDB no Pará.

Lorrane é filiada do PSDB, tendo sido inúmeras vezes candidata a cargos na Câmara de Vereadores e Assembleia Legislativa. É lotada na Coordenação de Políticas de Segurança Alimentar e Nutricional (Copsan), onde tem até carro oficial a disposição, para acompanhar o prefeito em eventos realizados pela prefeitura e comandar grupos de DAS que aplaudem o prefeito quando este discursa. 
Mas também impedir que servidores públicos concursados façam atos públicos contra Zenaldo, como ocorreu na Câmara Municipal de Belém, há dois meses, quando o prefeito aprovou com apoio da maioria dos vereadores, um projeto de extinção de cargos públicos.

Além dela, Zenaldo tem a sua disposição o advogado Vinícius Augustus Morais de Sá, sobrinho do promotor de Justiça, Benedito Sá. Vinicius atua na Prefeitura como chefe do Departamento de Comércio e Publicidade em Vias Públicas da Secon e é considerado um defensor ferrenho do prefeito, contra os servidores concursados.

O que se viu, na verdade, foi uma grande demonstração de desespero de Zenaldo, que teme uma greve no município, pois se prepara para disputar a reeleição em outubro deste ano e, conforme revelam as pesquisas, não tem nenhuma chance de ganhar.

Para tentar reverter a derrota, Zenaldo conta com o apoio dos milhares de servidores contratados sem concurso público, entre eles terceirados e DAS, que servem de cabos eleitorais pagos com dinheiro público. Uma grave irregularidade, que será denunciada ao Ministério Público Eleitoral, pela Associação dos Concursados do Pará.

Mas a brutal ação dos assessores do prefeito não foi apenas contra os trabalhadores, que exigem melhores condições de trabalho e salários, ao menos, corrigidos pela inflação. Foi sobretudo contra a população, que clama por melhor atendimento nas unidades de saúde e assistência do município.

As entidades representantes dos servidores públicos municipais marcaram nova reunião, para a próxima segunda-feira, dia 30 de maio, às 16 horas, no auditório do Instituto de Previdência e Assistência do Município de Belém (Ipamb).

Para a Associação dos Concursados do Pará, é preciso tomar as ruas, organizando os trabalhadores e os estudantes na construção de um terceiro campo, convocando greve geral, seguindo o exemplo dos servidores da Funpapa, que já estão paralisados, contra o abandono da assistência no município de Belém e dos servidores da Sespa, Santa Casa, HOL e HCGV, que, mesmo com um sindicato claudicante, não hesitaram em enfrentar Jatene. 
Uma greve na Saúde pública chegou a ser anunciada pelos trabalhadores, mas foi sufocada pela direção do Sindsaúde. É preciso também seguir o exemplo dos estudantes, que ocupam escolas em sete estados do Brasil".
 

Um comentário:

  1. Terreno fértil para os grevistas; uma situação difícil pros governantes... Ou dá ou desce!

    ResponderExcluir