VER-O-FATO: EMPRESA ENVOLVIDA EM DESVIOS DE R$ 10 MILHÕES DA EDUCAÇÃO NO PARÁ TINHA ATÉ RADIALISTA

terça-feira, 24 de maio de 2016

EMPRESA ENVOLVIDA EM DESVIOS DE R$ 10 MILHÕES DA EDUCAÇÃO NO PARÁ TINHA ATÉ RADIALISTA


Nonato Pereira, da Rádio Mix: foragido, segundo informações da Polícia Federal
Procurador da República Alan Mansur: "A empresa recebia, mas não prestava serviços"
Os policiais federais apreenderam muito dinheiro na casa do radialista

Carros de luxo e vida de ostentação com dinheiro desviado da educação básica
Outro veículo apreendido pela PF na casa de um dos envolvidos no esquema


Nos meios radiofônicos de Belém e nas redações de jornais não se fala noutra coisa:  o envolvimento do radialista Nonato Pereira com as fraudes, desvios e enriquecimento ilícito patrocinados pela empresa BR7, da qual, segundo a PF, ele seria um dos sócios, com um esquema com prefeituras para venda de livros e DVDs de inglês. A casa caiu, derrubada hoje pela ação da Polícia Federal. 

Nonato Pereira, pelo que é dito pela PF, estaria foragido, embora na casa dele, além de R$ 100 mil em dinheiro tenham sido descobertas provas que poderão levá-lo para a cadeia. O delegado Alexandre Brabo, da PF, disse que as fraudes atingem R$ 10 milhões. "Os envolvidos atuavam apenas em benefício próprio, amelhando carros e imóveis de luxo", afirmou Brabo.  Tudo começou pela prefeitura de Marituba, que firmou um contrato de R$ 1,8 milhão com a empresa. O esquema vinha dando tão certo que a prefeitura renovou o contrato com os criminosos, dobrando os valores que pagava.

Para que tudo saisse como a quadrilha havia bolado, as prefeituras contratavam a BR7 sem que ela passasse pelo processo de licitação. O pior é qque a empresa não prestava os serviços para os quais havia sido contratada. "As pessoas que atuavam nesses desvios tinham um elevado padrão de vida", acrescentou o delegado. Brabo disse ainda que há suspeita da participação de servidores públicos nas fraudes, o que já está sob investigação.

Brabo informou que um dos mandados de prisão era contra o radialista Nonato Pereira, que não foi encontrado em sua residência no momento em que a PF chegou ao local. Ele é considerado foragido de justiça. Segundo o delegado, Nonato Pereira tinha participação "bastante ativa" na empresa BR7. "Ele era um dos parceiros do sócio administrador da empresa e com isso, além de buscar novas contratações para a empresa, ainda fazia exigências públicas na rádio onde trabalhava para os pagamentos". 

O procurador da República, Alan Mansur, explicou que a BR7 já vinha sendo investigada há algum tempo pelo desvio de recursos do Fundeb.  O alerta foi dado pela Controladoria Geral da União (CGU). A empresa foi constituída um mês antes de ganhar o primeiro contrato público, sem licitação, o que demonstra que havia um direcionamento para favorecê-la. Ela não possuia nenhuma estrutura operacional de trabalho e nem funcionários. 

Além de os contratos serem direcionados, eles também era superfaturados. Os preços dos DVDs e dos livros de inglês eram muito maiores do que os valores de mercado. No geral, nem 30% do serviço contratado era prestado. "há um grande indício de sonegação fiscal", disse Mansur. Ele esclareceu que cinco municípios já estão identificados com os desvios de recursos públicos.

Todo o material apreendido nas prefeituras de Vitória do Xingu, Marituba e outras cidades, e na casa de Nonato Pereira serão submetidos à perícia da PF e do MPF. Depois disso, ainda de acordo com Mansur, serão encaminhadas à Justiça Federal as ações processuais. 

As prefeituras investigadas dizem não ter contrato com a BR7 e que estão dispostas a colaborar com a Polícia Federal e o MPF para o esclarecimento dos fatos. 


Entenda o caso

1- A Polícia Federal, juntamente com Controladoria Geral da União e a Receita Federal, deflagrou hoje a Operação Lessons, com o objetivo de desarticular esquema de desvio de dinheiro público em empresa fornecedora de materiais didáticos para prefeituras municipais.

2- O grupo desviava recursos públicos que deveriam ter sido utilizados na educação básica com verbas oriundas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica.

3- Foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão, 3 mandados de prisão preventiva, 3 mandados de prisão temporária e 8 conduções coercitivas nas cidades de Belém,  Marituba, Tomé-Açu, Acará, Inhangapi e Vitória do Xingu.

4- Participam da operação 70 policiais  federais, 17 auditores da Controladoria Geral da União e 08 auditores da Receita Federal. 

5- As investigações iniciaram em 2016 e revelaram que a empresa BR7 foi constituída com o único objetivo de contratar com entes públicos, por meio de inexigibilidades de licitações e licitações fraudulentas, com preços superfaturados, além de não prestar apenas parcialmente os serviços contratados.

6- Os livros fornecidos pela empresa aos entes públicos são de autoria do próprio sócio administrador da empresa, caracterizando-se como fornecedor exclusivo. 

7- As licitações foram direcionadas para favorecer a contratação da empresa. O material didático é composto por 3 livros inglês e 3 dvd’s, os quais eram vendidos ao preço unitário de R$ 1.800,00 para as prefeituras. 

8- Os presos serão indiciados de acordo com o grau de participação pelos crimes de associação criminosa, frustrar o caráter competitivo do procedimento licitatório, peculato, corrupção passiva e tráfico de influência.

12 comentários:

  1. Não era ele o porta-voz do povo? A casa caiu!

    ResponderExcluir
  2. Nenhum radialista ou jornalista deve se apresentar como porta-voz, porque só quem fala pelo povo é o próprio povo. O máximo que um comunicador pode fazer é transmitir informações de interesse público. E não deve fazer negociatas ou corrupção, utilizando microfone ou jornal. Isso é crime. O profissional de comunicação deve viver com dignidade, mesmo que não receba alto salário. Ser honesto não é virtude de ninguém. É obrigação.

    ResponderExcluir
  3. Carlos Mendes, essa empresa BR7, não seria aquela que o Jatene queria fazer contrato de 198 milhões ano passado. Tem que ter delação premiada nesse caso. Tem muita gente graúda envolvida.

    ResponderExcluir
  4. É a mesma, sim. Resta saber se o contrato foi assinado e se a tal empresa-arapuca prestou serviço ao Estado. Quem deve vir a público esclarecer isso é o governo de Jatene, a Seduc e quem mais puder. O Diário do Pará vai fazer amanhã um escândalo danado, naturalmente posando de bastião da moralidade. Putzgrila !!

    ResponderExcluir
  5. Tem xilindró pra tanta gente?
    Tem mais os Barbalhos... reserva mais vagas aí, tá mano!

    ResponderExcluir
  6. Esse radialista sempre puxou saco do governo do estado e da prefeitura. Era até feio como ele falava das pessoas, fazendo comentários absurdos e de maneira maldosa e baixa. Têm muitos radialistas que fazem isso pq detem o espaço na mídia. Que iso sirva de lição e que seja investigado todos os fatos e se o governo fez p contrato com a BR7.
    Eu sabia que por trás da intimidação das pessoas. Por ele, tinha muita coisa envolvidas. Vergonha!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que ele intimidava prefeitos e falava mal na rádio da administração desses que não faziam nem aceitavam negociar com a BR7

      Excluir
  7. Ele aprendeu com um ex radialista e cantor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A casa caiu para o Nonato Pereira. Ligo vi, ele posava muito de homem íntegro. Não deve mais voltar para a rádio. Imaginem os amigos da rádio , devem estar decepcionados

      Excluir
  8. Esse Radialista esteve um período em São João de Pirabas quem sabe não tenha feito "Negociata" com o prefeito Cláudio Barroso o calça curta, esse é o prefeito que a justiça não consegue Cassar.

    ResponderExcluir
  9. Ataca a todos e diz ser o mocinho... Agora é o rei do "cambalacho"...kkk... essa classe que se acha muita coisa e posa de bonzinho, sempre acaba caindo. Sempre falando de um tal Elvis Ribeiro. Não me importo quem seja, porém gostaria de ver a lei igual pra todos. Não é verdade Nonatinho? Como vc mesmo mesmo fala; o pau que da no Chico da no Francisco.
    Kkkkk
    Kkkkk
    Kkkkk

    ResponderExcluir
  10. Ataca a todos e diz ser o mocinho... Agora é o rei do "cambalacho"...kkk... essa classe que se acha muita coisa e posa de bonzinho, sempre acaba caindo. Sempre falando de um tal Elvis Ribeiro. Não me importo quem seja, porém gostaria de ver a lei igual pra todos. Não é verdade Nonatinho? Como vc mesmo mesmo fala; o pau que da no Chico da no Francisco.
    Kkkkk
    Kkkkk
    Kkkkk

    ResponderExcluir