domingo, 1 de maio de 2016

E O "GLOBO REPÓRTER" TIPO CAFÉ REQUENTADO DOS 40 ANOS DA TV LIBERAL?

 
Com o título "Data Máxima Venia", o jornalista Francisco Sidou enviou para o blog o seguinte comentário: 

Mas aquela edição especial do "Globo Repórter" sobre as belezas naturais, cultura e gastronomia do Pará , em homenagem aos 400 anos de Belém - cem dias depois do evento, exclusiva para os telespectadores paraenses, com matérias que "nosotros" já tínhamos visto na Tv Liberal - deixou em todos nós, paraenses, um sabor meio amargo de café requentado, pois não ? 

Mal comparado, é como se um desses bravos locutores de propaganda volante só propalasse as maravilhas do produto anunciado em frente ao estabelecimento comercial que o contratou. Isso acontece muito, para desespero do comerciante que investiu na propaganda.

Por essas e outras, é que a castanha do Pará já virou Castanha do Brasil; o açaí já está sendo levado para cultivo na Ásia, como ocorreu com a borracha; que o Cupuaçu quase virava japonês; que o pato no tucupi já é apresentado nas exposições por aí a fora como oriundo da gastronomia do Amazonas. E a nossa Secretaria de Turismo continua prestigiando essas exposições no Brasil e no exterior. 

E os nossos governos do Estado e prefeitura de Belém ainda participam com farta publicidade nessas edições especiais sobre o Pará que não fazem justiça ao Pará, como a do "Globo Repórter Especial". 

Tenho o dito.

3 comentários:

  1. Simples, assim. Como Sidou, como convém... Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Esse "especial" sobre Belém foi realmente uma piada. Bem "meia boca" mesmo! Mas se tratando da TV Liberal...

    Daqui a pouco o vão dizer que o Carimbó é da Bahia hahaha.

    ResponderExcluir
  3. Aqui na Alemanha a castanha ainda é do Pará... Paranuss. Ao menos isso...

    ResponderExcluir