VER-O-FATO: A CASA É DO IDOSO OU DOS HORRORES? PARA TORTURAR VELHO

sexta-feira, 6 de maio de 2016

A CASA É DO IDOSO OU DOS HORRORES? PARA TORTURAR VELHO

Desinformado e humilhado: é como se sente quem busca atendimento na Casa do Idoso da PMB

O blog já tinha ouvido falar que no local impera a humilhação e o desrespeito ao ser humano que já fez sua parte por este país, mas agora tem certeza de que lá a coisa é realmente pior do que se imagina. Trata-se da Casa da Saúde do Idoso, da prefeitura de Belém, inaugurada a menos de dois anos pelo prefeito Zenaldo Coutinho. 

Pois leiam a experiência vivida no local, hoje pela manhã, pelo jornalista Lúcio Flávio Pinto, que alí apenas adentrou para obter informações sobre a vacinação contra o vírus H1N1. É chocante. 

"Se você é idoso, só vá à Casa da Saúde do Idoso da Prefeitura Municipal de Belém, na avenida Governador José Malcher, em caso de extrema necessidade. No local, você estará exposto a ser desrespeitado, maltratado, mal servido e, se encaminhado a um destino, sujeito a longa espera, sem as condições adequadas a uma pessoa da sua idade. E da sua dignidade.

Vários dos funcionários que fazem o atendimento, embora alguns deles também idosos, parecem considerar sua clientela como formada pelo estereótipo do velho: ranzinza, desinformado, exigente, esclerosado - quase um lixo. Mesmo que você passe apouco tempo ali, testemunhará explosões de indignação no meio de uma massa de gente que acaba por se submeter ao chicote dos servidores incivilizados, como num matadouro de gado.

Acabo de vir de lá. Passando em frente ao prédio, construído para abrigar uma boate e uma casa de recepções (é alugado? Por quanto?), resolvi perguntar pela vacinação contra a gripe.No primeiro escaninho, logo depois da mini-recepção, me dirigi a uma senhora, que acabava de chegar (depois de sete e meia da manhã) para iniciar sua jornada de trabalho.

Através de uma fresta na parede de vidro que separa o local do público lhe dei bom dia e pedi sua atenção. Repeti três vezes o apelo. Ela continuou a limpar a mesa, como se surda fosse. Saiu para a sala ao lado. Insisti. Aborrecida, ela me fez ver o que eu já vira: estava fazendo a limpeza.

Intimidado pela grosseria burocrática e malsã, ainda assim pedi-lhe que simplesmente me dissesse onde eu podia ter informações sobre a vacinação contra a H1N1. Ela me mandou olhar uma placa que estava na outra parede. A placa realmente estava lá, mas não a informação. Abordei outra funcionária, que estava saindo da saleta e continuou a sair, me ignorando.

Dei meia volta e me dirigi pelo estreito e mal iluminado corredor, onde mal dá para circular, enquanto as pessoas que aguardam sua vez têm que permanecer sentadas naquele espaço congestionado, abafado. Não tive sucesso no primeiro contato. No seguinte, por fim, uma senhora me disse que era ali. A vacinação, só de 8,30 às 11,30.

Sim, todos os dias - respondeu já impaciente. Até quando? Ora, meu senhor, até quando houver vacina. Há uma previsão de estoque? Não respondeu. Nem mais lhe foi perguntado pelo cidadão que se continha para não se igualar aos seus algozes.

Saí daquele asilo (ou hospício) não declarado. Antes de chegar à porta de saída, um senhor - idoso, naturalmente; negro, é claro - se levantou da cadeira onde humildemente esperava quando passei por ali e já gritava contra quem o devia ter espezinhado.

Quem é o responsável por essa antessala do inferno?"

Um comentário:

  1. Tudo nessa administração do Zeraldo é podre. Minha avó se dirigiu a este estabelecimento para marcar uma consulta com oftalmologista; são meses por uma reles consulta, e muitas idas para a marcação.
    Salta aos olhos a quantidade de prédios próprios da prefeitura abandonados e a quantidade de prédios privados alugados pela prefeitura.

    A Casa do Idoso foi criada na administração do Edmilson Rodrigues e funcionava na Almirante Barroso e lá o atendimento era digno.

    ResponderExcluir