VER-O-FATO: JADER, NA VÉSPERA DO IMPEACHMENT, EMPLACA AFILHADO POLÍTICO EM DIRETORIA DO BASA

terça-feira, 19 de abril de 2016

JADER, NA VÉSPERA DO IMPEACHMENT, EMPLACA AFILHADO POLÍTICO EM DIRETORIA DO BASA

O Banco da Amazônia (Basa) tem novo diretor comercial. Nomeado na véspera da votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, graças ao empurrão de oito mãos - do próprio Jader, do filho e ministro dos Portos, Helder, e das deputadas federais Elcione Barbalho e Simone Morgado - o afilhado político do senador do PMDB pertencia ao quadro de pessoal do Banco do Brasil, e chama-se Luiz Cláudio Teixeira Sampaio. 

Mas quem é o ilustre nomeado por influência de Jader e de seus familiares? Pouco se sabe sobre ele. A única informação disponível é de que se trata de alguém que, além de bancário de carreira, foi também candidato a vereador pelo PMDB de Ananindeua, em 2004, quando obteve 455 votos, segundo informação do Tribunal Regional Eleitoral. Luiz  Cláudio Sampaio gastou na campanha eleitoral R$ 100 mil. 

Agora, no comando da poderosa Diretoria Comercial e de Distribuição do banco, onde ficará cedido pelo prazo de um ano, o ungido de Jader vai substituir o rondoniense Wilson Evaristo, que já está arrumando as gavetas para voltar à terra natal. Dentro do Basa, aliás, havia uma briga de foice pelo cargo. Um dos pretendentes, de acordo com informações chegadas ao Ver-o-Fato, era o ex-presidente da Casf, a caixa de assistência e prividência dos funcionários do Basa, José Prado, conhecido nos meios bancários como Dom Prado I. 


A fidelidade política de Jader a Dilma ainda vai render outros frutos, embora a vida administrativa efêmera dos seus indicados esteja sujeita aos humores de Michel Temer, o vice execrado no Planalto que estoca tinta na caneta para defenestrar, quando assumir o governo, quem não seguiu a orientação do partido na votação do impeachment. Jader peitou Temer e pode se dar mal por isso.

Já se comenta em Brasília que Jader tem estimulado Helder a entregar o boné da demissão a Dilma para ficar mais à vontade em sua vingança contra Temer: a declaração de seu voto a favor de Dilma, quando a votação do impeachment chegar ao plenário do Senado. 

É esperar para conferir.

Veja, abaixo, a portaria de nomeação de Luiz Cláudio Sampaio, assinada no dia 15, sexta-feira passada, pelo secretário Executivo do Ministério da Fazenda, Dyogo Henrique de Oliveira:  


Nenhum comentário:

Postar um comentário