terça-feira, 8 de março de 2016

JUSTIÇA FEDERAL EXPEDE MANDADO DE CONDUÇÃO COERCITIVA DO CORONEL NUNES

O bicho pegou e Nunes terá de depor "sob vara" na CPI do Futebol

Romário: um gol de bicicleta na apuração da corrupção na CBF

A Justiça Federal em Belém cumpriu, nesta terça-feira (08), determinação do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, para que o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Antônio Carlos Nunes de Lima, seja conduzido coercitivamente a prestar esclarecimentos à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Futebol.

O pedido para a condução coercitiva de Nunes foi apresentado originalmente ao TRF1, em Brasília (DF), pelo senador Romário (PSB-RJ), presidente da CPI. "A testemunha em referência, devidamente intimada, não compareceu, sem motivo justificado, à oitiva designada para a presente data", argumentou o parlamentar no ofício ao TRF. O depoimento deveria ter ocorrido no último dia 2 de março, mesmo dia do ofício expedido à Justiça.

Ao receber a petição do senador, o TRF1 incumbiu a Seção Judiciária do Pará a dar cumprimento à medida assecuratória, que foi distribuída à 4ª Vara Criminal Especializada, que tem como titular o juiz federal Antônio Carlos Almeida Campelo.

Em despacho assinado nesta terça-feira, o magistrado determinou que a condução coercitiva ficará a cargo da Polícia Federal, que levará o presidente da CBF até o plenário dois do Senado, no próximo dia 16 de março, uma quarta-feira, para prestar esclarecimentos à CPI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário