terça-feira, 29 de março de 2016

JADER ATACA DECISÃO DO PMDB, ACUSA CUNHA E DIZ TER "OJERIZA DE MEMÓRIA SELETIVA"


"Acho que o PMDB não teria razão, depois de tantos anos acoplado no poder, de passar para a opinião pública a ideia de que nós, agora, nos sentimos incomodados de fazer parte do governo. Isso depois de termos tantos ministros e centenas de cargos espalhados por todo o País. Fico muito preocupado com o juízo que a história fará do gesto", avisou.

Jader disse também que a decisão por aclamação de deixar o governo serviu para "disfarçar as divergências" e não poupou críticas à atuação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

"Fico muito preocupado com a moral seletiva do PMDB e inclusive da imprensa. Já nem vejo mais no noticiário o Eduardo Cunha, acho que daqui a pouco ele passa a ser herói de vocês da imprensa. Tenho ojeriza da moral seletiva, inclusive do meu partido", ressaltou.

3 comentários:

  1. Ora vejam só quem fala em oportunismo político. Esse sujeito é a maior vergonha da história política do Pará, sempre aliou-se com quem ou de quem ele tirou proveitos pessoais e de seus parceiros.
    Ele está agora é preocupado com o filho ministrinho, que vai perder a boquinha. Agora será complicado arranjar um guarda-chuva para o rebento.

    ResponderExcluir
  2. Jatene, Nilson Pinto, Éder Mauro, Zequinha e Júlia Marinho, Celso, todos receberam propina da Odebrecht e ninguém fala nada. Eita imprensa hipócrita essa do Pará.

    ResponderExcluir
  3. São todos ordinários, são todos mal farinha do mesmo saco. São ridículos, ratazanas do pão alheio, que sugam tudo o que tem valor e surge na frente. Devem ir para o esgoto da imundície. Esses patifes são o que de pior existe na história desse estado, que vive repleto de políticos corruptos sem exceção.

    ResponderExcluir