VER-O-FATO: A HOMENAGEM A JAMIL DAMOUS, ÀS 11 DA MANHÃ, NA SINTONIA WEB. OUÇA

sábado, 26 de março de 2016

A HOMENAGEM A JAMIL DAMOUS, ÀS 11 DA MANHÃ, NA SINTONIA WEB. OUÇA

Jamil (de óculos), em dezembro de 2014, com o editor do blog, no Centur.
A rádio Sintonia Web e o programa "Arte Brasil" homenageiam neste sábado, a partir das 11 da manhã, o jornalista, poeta e compositor Jamil Damous, falecido na semana passada no Rio de Janeiro. A produção e apresentação do programa é de Paulo Gomes, o Paulão, que fala sobre a obra de Jamil, seus poemas, e roda músicas de autoria dele em parceria com artistas paraenses. 

Jamil e o editor do Ver-o-Fato foram grandes amigos, no final dos anos 60 e começo dos anos 70, e faziam parte do grupo conhecido por Turma da Escadinha - todas as noites, batendo ponto, para longos papos sobre assuntos diversos, principalmente cultura, política nacional e paraense em plena ditadura militar, na escadinha do Teatro da Paz, na Praça da República. Depois, em 1973, Jamil transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde passou a trabalhar como redator  de merchandising da Rede Globo. 

Ele, porém, nunca deixou de vir ao Pará rever os amigos e relembrar os fatos que aqui viveu durante os anos de chumbo e que, confessava, marcaram sua existência. Em dezembro de 2014, no Centur, reeencontrou-se com o redator deste blog, no lançamento de seu livro de poemas "O Rei do Vento".  Um homem existencialmente inquieto e de grande sensibilidade artística, assim o blog o define. 

Maranhense de Turiaçu, Jamil Damous (1953) passou a juventude em Belém, onde iniciou sua carreira de jornalista e publicitário e onde escreveu seus primeiros versos e estrofes, o que o leva a se considerar culturalmente paraense. É em Belém que inicia parcerias musicais bem sucedidas com artistas locais, especialmente com Nilson Chaves, com quem compôs “Constelação Sentimental”, “Toca Tocantins”, “Da Minha Terra”, entre outros sucessos. Com Vital Lima, em 2003, produziu a trilha sonora do espetáculo “Bonequinha de Pano”, de Ziraldo, que lhe rendeu o prêmio Maria Clara Machado de Teatro Infantil, na categoria Trilha Sonora.

Em 1979, já no Rio de Janeiro, lança seu primeiro livro “Tempo Turiense e Outros Tempos” (Ed. Olímpia), uma coletânea de poemas e outros escritos. Seu segundo livro saiu apenas em 1995, “A Camisa no Varal” (Belém, ed. Cejup), outra coletânea de seus poemas. Poeta e letrista, influenciado por Drummond, João Cabral de Melo Neto e Ferreira Gullar, na poesia, e por Caetano, na música, Jamil Damous também é publicitário e um dos primeiros redatores de merchandising da Rede Globo e o primeiro e mais antigo em atividade do merchandising social.

Para ouvir o programa, clique no play da rádio, aqui no lado direito do blog. Ou, se preferir, acesse pelo site www.fmsintonia.com.br

Boa audição. Obs: o programa será reapresentado às 2 da tarde de domingo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário