VER-O-FATO: PARENTE, UMA PRAGA NA VIDA DA GENTE

domingo, 14 de fevereiro de 2016

PARENTE, UMA PRAGA NA VIDA DA GENTE

Alamar Régis: a compra do livro acima vai ajudá-lo no tratamento
Amigo pessoal do editor deste blog, o analista de sistemas, escritor dos bons e espírita, Alamar Régis Carvalho, há vários anos residindo em São Paulo - já morou e trabalhou em Belém, implantando o primeiro sistema informatizado da segurança pública do Pará, pelo extinto CEPD, além de atuar na TV e rádio Guajará e articulista dos jornais "O Estado do Pará", "Província do Pará" e "O Liberal" - hoje enfrenta uma batalha contra um câncer, diagnosticado no final do ano passado. Ele já começou o tratamento, mas precisa de ajuda. E a melhor forma de ajudá-lo é comprar seus livros.

Um desses livros é "Parente, uma Praga na Vida da Gente". Delicioso de ler, numa linguagem direta, objetiva e sarcástica, mostrando que, algumas vezes, o pior inimigo está dentro de casa, ou no chamado seio familiar. O livro fala de opressão, chantagem, chatice e outras coisas mais que envolvem parentes, aderentes e agregados, que também interferem na vida dos outros, transformando-a num inferno. Veja o que o próprio Alamar Régis escreve na apresentação de sua obra.
"Pra começar, eu gostaria de dar um aviso a você:  Se todos os seus parentes são maravilhosos, sempre carinhosos e solidários contigo, por favor, não fique com raiva de mim. Você não tem a menor necessidade de ler este livro! Ele destina-se apenas a pessoas que têm aquele tipo de parente que esteja enquadrado em um destes casos abaixo:

1- Só lembra que a gente existe, quando precisa.

2- Adora se meter na vida dos outros.

3- Morre de inveja de outro parente que se destaca na vida.

4- Se mete a dar opinião onde não é chamado.

5- Vive inconvenientemente enchendo a paciência dos outros parentes para convertê-los à sua religião, achando que a igreja onde ele freqüenta é a possuidora exclusiva da verdade.

6- Aquele tipo de homem que vê a esposa como se fosse empregada doméstica sua.

7- Aquele tipo de mulher que só vê o marido como o cofre da família.

8- Aquele tipo de mãe que adora fazer chantagem sentimental com os filhos. "Eu vou morrer por sua causa", "Você está me matando aos poucos"...

9- Aquele tipo de sogra que se acha no direito de determinar como o seu filho, ou a sua filha, devem viver nos seus lares, esquecendo que eles são adultos e não mais crianças.

10 - Aquele que se acha no direito de dizer o que quer e bem entende pra você, sem a menor preocupação se está lhe ferindo ou não.


Parece brincadeira, mas tem muita gente, mas muita gente mesmo, que sofre por causa da língua de parentes, vive temendo o patrulhamento que determinados parentes fazem na sua vida, principalmente mulheres ex-casadas que, segundo a vontade do falso moralismo e da hipocrisia de alguns deve se enclausurar, aposentar a chamada "perseguida", jamais voltar a namorar quem quer que seja e, em síntese, viver em eterna solidão até os seus últimos dias.

Muitos parentes tem tanto "amor" pelos seus idosos, falam com eles com um "carinho" tão grande, que dão até a impressão de que reconhecem tudo o que eles fizeram no passado: "Não encha o saco, vovô. Já vem o senhor se metendo".

Há muito tempo eu pesquiso, observo e estudo essa figura chamada "parente" e já vi coisas de arrepiar cabelos de carecas, práticas de verdadeiras torturas uns em relação a outros, por incrível que possa parecer.

Tenho certeza de que muitos dos meus amigos vão me mandar e-mails com dizeres do tipo: "Alamar, parece que você foi lá em casa e conviveu durante um bom tempo".

Quase a unanimidade das leitoras do meu outro livro, "Mulher, só é boba quem quer", que mantém contatos comigo, por e-mail, carta, MSN ou pessoalmente fala do inferno que era a sua vida, na submissão às conveniências e a língua de parentes, libertando-se apenas depois que passaram a conhecer esta nova sugestão que dei, de como deve viver uma mulher que raciocina, que tem o mínimo de respeito pela sua inteligência e esteja disposta a dar um basta em uma das mais absurdas culturas impostas, pela religião, à humanidade, que é o machismo.

Em "Parente, uma praga na vida da gente", você vai ver os seguintes tópicos:

Não deixe ninguém comandar a sua vida - Parente rico metido a besta - Parente pobre metido a rico - A questão da moralidade de aparência - A questão religiosa entre parentes - O parente que mora nos Estados Unidos - Sogra (vários tipos de sogras) - Parente que ocupa cargo público, mas é honesto - Parente que ocupa cargo público, mas é sem vergonha - O adolescente - Filhos que agridem e até odeiam os seus pais - Mau caratismo de filhos para com os pais - A bunda da adolescente irresponsável - Competição de pais separados - Os idosos abandonados - O problema da chantagem - Santo de casa não faz milagres - Parente cara de pau - Parente que rouba parente - Parentes que matam por ambição - Lamentáveis obstáculos ao amor e outros tópicos.

Eu acho que muita gente vai gostar. "Tá bom, Alamar, o assunto me interessa, eu quero comprar o seu livro, onde é que eu acho?"

Faça o seguinte: entre no meu site pessoal, que é
www.alamarregis.net. Lá tem a opção de comprar este e os outros livros de minha autoria, além de alguns outros de autores amigos meus. A pessoa faz a compra e a gente envia pelo correio, com base nos dados de endereço que forem colocados lá. O site ainda não está cem por cento pronto, porque eu tenho muita coisa pra colocar lá, mas esta parte de compra dos livros está funcionando direitinho.

4 comentários:

  1. Carlos,conheci o Alamar aqui em Belém e dele , guardo cartas carinhosas que fez à mim e ao meu tio Jarbas. É uma grande figura e te louvo pela publicação do seu comentário/apelo. Vou hoje mesmo, entrar em sue site. Homens assim, capazes de transformar os momentos difíceis da vida, em livros e publicações bem humoradas, merecem receber de volta o nosso apoio.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, caro Ronaldo. O Régis, como nós o conhecemos, sempre foi um grande sujeito. Boa praça, cara íntegro, que tem aquele lado sincero - às vezes incômodo, para alguuns - de dizer o que pensa. Agora ele precisa de ajuda. Postei um comentário na página dele no Facebook, exortando-o a não abrir mão de sua fé, deixando que os médicos façam sua parte, para que tudo dê certo. O Régis sempre me fala do ministro Jarbas Passarinho, a quem considera um dos maiores intelectuais deste país.

    ResponderExcluir
  3. Carlos, vamos torcer pelo Alamar. Como católico vou inclui-lo nas minhas orações.Sei do conceito que ele sempre fez do JP. Estamos vivendo uma época de "revisionismo histórico", e te agradeço pela transcrição da demonstração pública, quando se refere a JP.

    ResponderExcluir
  4. Achei muito interessante o livro mas aqui em São José dos Campos não achei.

    ResponderExcluir