INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL

Linha de Tiro - 19/04/2018

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

O JORNALISMO DE PRISCILLA CASTRO E O SUFOCO DE ZENALDO

A postura de Priscilla na tela da TV agrega confiança e credibilidade

Poucas âncoras de TV, hoje no Brasil, têm a postura equilibrada, séria, e ao mesmo delicada de Priscilla Castro, da TV Liberal, apresentadora do "Jornal Liberal 1ª edição". Hoje, por exemplo, ela fez o que um bom jornalista deve fazer diante de autoridade pública, entrevistando o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho. 

Se o prefeito pensava que teria vida mansa ou que a apresentadora fosse levantar a bola para ele cortar e marcar ponto, como normalmente acontece por estas bandas, enganou-se redondamente.

Priscilla questionou Zenaldo e algumas vezes o colocou em situação embaraçosa quando ele, mesmo diante de imagens como as do caos provocado pelas obras do BRT e da luta por atendimento médico no PSM do Guamá, tentava negar o óbvio ululante. 

Zenaldo levou sufoco, culpou a falta de recursos, o antecessor - sem citar o nome de Duciomar Costa - e jogou parte da inépcia de sua gestão na crise ecônomica.

Houve um momento em que, não tendo mais para onde fugir, Zenaldo admitiu o "caos" na saúde. Mas aí, para variar, voltou a culpar os outros, no caso prefeitos do interior que mandam seus doentes para a capital, superlotando o hospital. A velha desculpa de sempre.

A melhor parte da entrevista, para Zenaldo, foi o final. Ele saiu aliviado por Priscilla ter agradecido a presença dele no programa.

Tem sido assim a conduta de Priscilla Castro na apresentação do jornal televisivo. É uma jornalista que não perde a indignação, embora mantendo a elegância e o discernimento. Isso agrega confiança e credibilidade popular ao trabalho dela.

Resumo da ópera: ainda há salvação para o nosso jornalismo diário. 


6 comentários:

  1. Eu acho que o ZéNada pensou que ela iria pegar leve.

    ResponderExcluir
  2. essa tem minha admiração e respeito
    PARABÉNS PRISCILA PELA CORAGEM E PROFISSIONALISMO...

    ResponderExcluir
  3. Quanto ao profissionalismo da Priscila, nada a questionar. Mas...algo de muito estranho provocou a linha da entrevista. A conjuntura($) atual deve ter sido determinante. Típico do jornalismo, diga-se empresários, paraense. Pra bom entendedor, meia palavra basta.

    ResponderExcluir
  4. Carlos Mendes você foi muito feliz ao elogiar o trabalho da jornalista Priscila Castro. Também concordo com vc e a considero uma grande profissional. Gosto muito do trabalho que ela realiza. Tenho visto alguns apresnetadores de TV do nosso estado que puxam o saco de governador e prefeitos como se fossem empregadinhos dessas autoridades. Como diria bóris casoi, uma vergonha. Priscila tem caráter é inteligente nas formulações das perguntas.

    ResponderExcluir
  5. Meu querido Gilson Farias, nós dois, macacos velhos das lides jornalísticas, sabemos das conveniências dos patrões da mídia papa-açaí. Você não deixa de ter razão, em parte, sobre a entrevista do Zenaldo. Mas. faço a ressalva apenas no comportamento da jornalista Priscilla Castro, que faça chuva, sol ou trovoadas político-financeiras sempre teve uma postura equidistante de tais conveniências, comportando-se essencialmente como boa jornalista que é. Além do mais, você já trabalhou na TV Liberal e sabe que, desde a saída do Emanuel Vilaça da direção do jornalismo, houve uma espécie de intervenção da direção da Globo no jornalismo da TV Liberal. Isso perdura até hoje. Enquanto o jornal "O Liberal" levanta a bola do governo, a TV Liberal mostra os fatos e jornalistas como a Priscilla agem com relativa independência. O que já é suficiente para merecer a confiança do público. Ainda mais nesses tempos sombrios de autocensura - a pior forma de censura contra o trabalho de um jornalista. Te aguardo sempre por aqui. Um abraço fraterno.

    ResponderExcluir