sábado, 6 de fevereiro de 2016

NO CARNAVAL DO INTERIOR DO PARÁ, ATÉ O ET DE COLARES CAI NA FOLIA

Na ilha paraense famosa em todo o mundo, o povão homenageia o "Chupa-Chupa"
O ET de Colares sai há oito anos e atrai foliões de várias regiões

Com o Carnaval de Belém praticamente morto e sepultado - já dizem alguns saudosistas que chegamos a ter o terceiro ou quarto melhor Carnaval do país, o que, convenhamos, foi um exagero - restou ao povo festeiro, que adora uma fuzarca, sair para o interior em busca de diversão. Belém só não está vazia porque muitos que não gostam de carnaval preferem ir ao cinema, ao restaurante, passear numa praça, ou ir à orla, olhar o rio Guamá ou a Baía de Guajará.

Cametá, Vigia, Curuçá, Tucuruí, Bragança, Abaetetuba, atraem os moradores da capital. Eles costumam ficar em casas de parentes ou alojam-se em pensões,a preços que variam de R$ 100 a R$ 400 pelos quatro dias de folia. No oeste do Estado, Óbidos, Oriximiná, Alenquer e Santarém também proporcionam boas atrações, com seus blocos animados e criativos.

É carnaval popular, de rua, onde cada um se fantasia como pode e quer, sem dar satisfações a ninguém. E a criatividade entra em cena. Em Colares, por exemplo, tem um bloco que faz o maior sucesso. É o "Bloco do ET", que homenageia aparições de luzes misteriosas que, segundo os moradores, entre 1977 e 1978, desciam dos céus e sugavam o sangue das pessoas. 

O caso, famoso em todo mundo e até hoje objeto de estudos e pesquisas de ufólogos, físicos, jornalistas e especialistas em vida fora da Terra, inspirou pescadores e agricultores de Colares a formar o bloco das vítimas do "Chupa-Chupa". A turma cai na folia, desfilando pelas ruas da ilha. 

Viva o Carnaval do interior paraense!
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário