INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL

Linha de Tiro - 19/04/2018

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

GOVERNO AMEAÇA USAR A PM PARA LIBERAR ESTRADA BLOQUEADA EM BARCARENA

O povo prejudicado se manifesta desde o ano passado, mas só recebe promessas
A frente do porto da CDP já foi bloqueada várias vezes, e nada é resolvido
O fechamento agora pela manhã da rodovia PA-481, que dá acesso aos municípios de Barcarena e Abaetetuba - conforme informação divulgada ontem aqui no blog Ver-o-Fato com exclusividade - é mais uma vez o resultado da revolta das comunidades da região por nada ter sido feito até agora para compensar o desastre ambiental e social provocado pelo naufrágio do navio Haidar com 5 mil bois vivos no porto de Vila do Conde, cinco meses atrás.

O estopim, para o novo bloqueio, por centenas de manifestantes, foi os grandes exportadores de gado não terem cumprido um acordo celebrado na semana passada de liberar R$ 900 mil em duas parcelas de R$ 450 mil - uma merreca perto das indenizações pleiteadas pelas comunidades na Justiça. O resultado dessa intransigência é que o governo estadual decidiu ficar ao lado dos exportadores e está usando força policial para tentar desbloquear a estrada.

"Nós vamos resistir a essa manobra do governador Simão Jatene. O Batalhão de Choque vai ser usado contra as famílias que reivindicam apenas seus direitos, enquanto esses exportadores ganham fortunas às custas da degradação ambiental e do desastre provocado nas vidas de mais de 20 mil pessoas que dependiam do rio e das praias para sobreviver", protestou um dos líderes da manifestação em entrevista, por telefone, ao Ver-o-Fato.

Segundo ele, o secretário estadual de Transportes, Kleber Menezes, que faz o jogo dos exportadores, pediu e foi atendido em levar a PM para reprimir as famílias, enquanto um dos navios que iria embarcar o gado para o exterior está parado no porto com mais de 2 mil cabeças, à espera de uma solução para o problema. O supersecretário de estado Adnan Demachki e o presidente da Companhia Docas do Pará (CDP), Parsifal Pontes, estão reunidos nesse momento para tentar resolver o impasse.

Uma das propostas apresentadas é a de as 2 mil cabeças que estão no navio serem desembarcadas até que uma solução para o pagamento das indenizações - prometidas, mas não cumpridas - seja encontrada. O governo estadual quer o embarque dos bois, porque está perdendo receita. Mas as famílias prejudicadas também tem seus direitos que não estão sendo respeitados pelos atores oficiais em cena.

Há muito jogo de cena político, promessas vazias, tentativas reiteradas de enganar a população e agora, para completar, a ameaça de uso de força policial contra os manifestantes. 

É Pará, isso.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir