VER-O-FATO: GOIANÉSIA, NO SUDESTE DO PARÁ, É TERRA PROIBIDA PARA POLÍTICOS: DOIS MORTOS E UM AMEAÇADO

domingo, 21 de fevereiro de 2016

GOIANÉSIA, NO SUDESTE DO PARÁ, É TERRA PROIBIDA PARA POLÍTICOS: DOIS MORTOS E UM AMEAÇADO

Os assassinos em fuga: imagens já estão sendo examinadas pela Polícia Civil
O vereador "Zé Ernesto": morto com 5 tiros por pistoleiros na quinta-feira.

"Russo", prefeito de Goianésia, morto no mês passado. Seriam os mesmos pistoleiros?
Eduardo, ex-secretário da prefeitura. Outro crime político?
"Tonhão", que era vice, assumiu prefeitura, mas anda apavorado


Imagens da câmera de uma residência de Goianésia, no sudeste do Pará, captaram os assassinos do vereador do município, José Ernesto da Silva Branco, o "Zé Ernesto" (PHS), morto com cinco tiros na última quinta-feira, 18, em frente a um lava-jato, após seu caminhão atolar numa rua de acesso à rodovia PA-150. 

Os assassinos, que estavam de motocicleta e cujas imagens em fuga estão em poder da Polícia Civil, ainda tiveram a audâcia de comparecer ao velório do vereador, na sexta-feira, para tentar matar o motorista dele por ter presenciado o crime. A testemunha escapou do atentado.

O blog Ver-o-Fato teve acesso às imagens dos pistoleiros. "O que se presume, a princípio, é que seja um crime que a gente chama de crime de mando, de encomenda", resume o delegado Silvio Maués, diretor de Polícia do Interior. Policiais e peritos coletaram provas no local do crime. Os pistoleiros teriam usado uma pistola e um revólver calibre 38. 

“Efetuaram provavelmente cinco disparos, chegando a pegar quatro disparos na vítima”, conta o sargento John, da Polícia Militar. A Segup enviou para Goianésia do Pará 30 policiais civis e militares para ajudar nas investigações e reforçar o policiamento da cidade.

O clima em Goianésia é tenso e a população anda assustada com o aumento da criminalidade no município, sobretudo com a espécie de abertura de temporada de caça a políticos. Antes da morte de "Zé Ernesto", dois pistoleiros - não se sabe se os mesmos que mataram o vereador - assassinaram, no dia 24 de janeiro passado, com seis tiros, o prefeito do município,  João Gomes da Silva, o "Russo", quando ele estava no velório de um amigo. 

A cena foi abjeta: os criminosos invadiram o local de arma em punho, e executaram o prefeito ao lado do caixão do amigo dele, apavorando a todos que estavam na residência. Logo em seguida, os matadores, sempre de motocicleta, fugiram em alta velocidade. A polícia ainda não conseguiu prender ninguém envolvido nos dois crimes. 

Sem orelha - Outro crime que chocou os moradores de Goianésia ocorreu em outubro do ano passado. A vítima, dessa vez, foi o ex-secretário de Administração da prefeitura, Eduardo dos Santos. Seu corpo foi encontrado às margens da vicinal de acesso a Vila Rajada, distante 4 km da rodovia PA-150 entre os municípios de Goianésia e Tailândia. Segundo informações dos familiares, ele saiu em sua caminhonete Hilux SW 4 de cor branca, a caminho de sua fazenda localizada distante 15 km do centro de Goianésia em direção a Tailândia.

A necropsia revelou que Eduardo sofreu estrangulamento, tinha uma perfuração na cabeça por arma de fogo e a orelha esquerda cortada, além de muitos hematomas de espancamento por todo o corpo, levando a crer ter sido torturado e assassinado a sangue frio pelos seus algozes, que ainda fugiram na caminhonete dele.
Medo - O vice prefeito, Antonio Pego, o "Tonhão" (PSC), que assumiu o lugar do prefeito assassinado no mês passado, já revelou a familiares e amigos a intenção de renunciar ao mandato. Ele diz não ter inimigos no município, mas teme também ser assassinado. 
A polícia quer saber quem estaria por detrás desses crimes de encomenda em Goianésia. Se não investigar a fundo, jamais saberá.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário