quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

EMBARQUE DE BOIS É SUSPENSO E NOVO ACORDO LIBERA RODOVIA EM BARCARENA

Logo ao amanhecer, a estrada foi fechada.  Mas, depois, desbloqueada. Foto TV Liberal
 
O protesto das comunidades de Barcarena acaba de ser suspenso, não por medo da ameaça de repressão ao movimento pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar, mas por interferência do secretário estadual de Meio Ambiente, Luiz Fernandes e do advogado Ismael Moraes, defensor de várias entidades do município envolvidas na manifestação.

As negociações entre os exportadores de gado e as comunidades serão retomadas, segundo o presidente da Companhia Docas do Pará, Parsifal Pontes. Em conversa com representantes das exportadoras, ele ouviu que o problema teria sido causado por um "desalinhamento entre o que teria sido acertado com as comunidades e a forma como teria sido confeccionado o documento a ser assinado". 

Seja lá que tipo de desculpa seja essa, o advogado Ismael Moraes rebate a argumentação, afirmando que os empresários "não honraram o compromisso assumido". Pontes, por seu turno, negou que haja 2 mil cabeças de gado dentro de navio aguardando nova remessa de bois para embarque, como foi informado ao blog Ver-o-Fato

"Essas 2 mil cabeças foi do primeiro embarque, liberado na quinta-feira passada. O navio que está atracado no porto está vazio", disse o dirigente da CDP. Com isso, Pontes confirma que os empresários se prevaleceram de um acordo que não haviam cumprido para embarcar às pressas um navio com meia carga de gado.  

A PM, segundo o acordo entre Fernandes e Moraes, também muda seu foco. Em vez de reprimir os manifestantes, como queria o secretário de Transportes, Kleber Menezes, a força militar será usada para impedir o trânsito de qualquer caminhão com gado vivo às estradas que levam ao Porto da CDP em Vila do Conde. 

Os comunitarios disseram que confiam em Fernandes, mas que não pensarão duas vezes caso o novo acordo não seja cumprido. E decretaram que novo embarque de bois está suspenso. "Chega de enrolação", declarou um dos líderes.

“Os prejuízos que os exportadores de gado vão sofrer pela forma irresponsável de como trataram as autoridades estaduais, o presidente da CDP e as comunidades é pouco pelo que merecem”, enfatizou Moraes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário