quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

BANCADA DO PARÁ COBRA DE MINISTRO PROJETOS PARA SOLUCIONAR INTERDIÇÃO DA CUIABÁ-SANTARÉM

A interdição da BR-163 mobilizou nossos políticos para resolver o impasse
O senador Paulo Rocha (PT-PA), coordenador da bancada federal do Pará e demais membros do colegiado, deputados estaduais e vereadores das cidades as margens da BR – 163, foram ao ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, pedir solução para os problemas de eletrificação no povoado Moraes Almeida, em Itaituba, áreas de garimpos como Crepurizinho e Crepurizão. A estrada também foi fechada na altura de Novo Progresso, sudoeste paraense.

De um lado, trabalhadores rurais da agricultura familiar reivindicam a expansão de uma rede elétrica do programa “Luz para Todos”; do outro, índios kayapó reivindicam a construção de uma casa indígena e melhorias no atendimento da Fundação Nacional do Índio (Funai), além do Projeto de Desenvolvimento Sustentável do assentamento “Terra Nossa”.

Durante a reunião, o ministro de Minas e Energia garantiu aos representantes daquela região que vai resolver com a Centrais Elétricas do Pará – Celpa, que tem contratos e obrigações de instalações de linhas de alta tensão para que seja levada energia a todos moradores da região.

Para Paulo Rocha, este problema é uma questão que a bancada vem trabalhando há algum tempo. “Para resolver a situação é necessário um esforço conjunto das forças políticas, elencar todos problemas e buscar resolvê-los em conjunto com mais celeridade”, recomendou o senador. O ministro Eduardo Braga informou, ainda, que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) irá licitar linhas de transmissão no mês abril.

Os novos empreendimentos de transmissão da rede básica serão leiloados pela Agência no dia 13 de abril às 10h na sede da BM&Fbovespa, em São Paulo. O edital do certame (leilão nº. 13/2015) foi aprovado ontem pela diretoria colegiada da Agência durante a 5ª Reunião Pública Ordinária. Serão implantados aproximadamente 6.500 km de linhas de transmissão e 10.560 MVA em capacidade de subestações.

Após análise das contribuições recebidas durante a audiência pública 080/2015, que discutiu a minuta do edital, e de reuniões de avaliação com o Ministério de Minas e Energia (MME), Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e Operador Nacional do Sistema (ONS), a Agência resolveu pela retirada de parte de alguns lotes e reestruturação de outros, o que culminou na divisão do certame em duas etapas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário