VER-O-FATO: "AQUI É UM MATADOURO", DIZ MÉDICA SOBRE O PSM DO GUAMÁ. É VERDADE. AUTORIDADES, MEXAM-SE

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

"AQUI É UM MATADOURO", DIZ MÉDICA SOBRE O PSM DO GUAMÁ. É VERDADE. AUTORIDADES, MEXAM-SE

Duciomar e Zenaldo - ambos, juntinhos, como irmãos siameses da inépcia administrativa - têm responsabilidade sobre o caos na saúde pública de Belém e já deveriam ter merecido uma atitude mais drástica do Ministério Público, seja este Estadual ou Federal, como fiscais da lei e competência para tal. 

Os dois prefeitos nada fizeram em favor da população que, com seus impostos, paga altos salários a promotores e procuradores, e por isso deveria ser tratada com respeito e dignidade quando seus direitos à saúde são violados. Duciomar já saiu, mas ameaça voltar. Zenaldo, que prometeu consertar os estragos do antecessor, nada faz e quer continuar.

Artigo 196 da Constituição Federal de 1988. "A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação". Bonito artigo, não é mesmo? No papel, maravilhoso.
 
O blog Ver-o-Fato, porém, pergunta aos ínclitos procuradores, promotores e quem mais se apresente como defensor da sociedade: esse artigo 196 está valendo alguma coisa aqui em Belém? Ou será que foi sepultado na mesma cova rasa das pessoas pobres que morrem todos os dias na porta ou dentro desses PSMs e hospitais públicos do Estado?
 
Nem vale a pena citar casos de omissão de socorro, descaso, desleixo oficial e oficioso com a saúde dos desvalidos de Belém. Daria páginas e páginas de verdadeiras aberrações, mortes que poderiam ser evitadas caso o artigo 196 da Constituição Federal não fosse letra morta no Brasil, especialmente nesta cidade que está completando 400 anos.

Vamos ficar apenas no exemplo mais recente, mostrado num jornal televisivo desta noite, o Jornal Liberal 2ª Edição, da TV Liberal. Sim, isso mesmo, da TV Liberal, que pertence ao grupo que dá todo apoio político e recebe em troca gordas verbas publicitárias dos governos de Simão Jatene e Zenaldo Coutinho, ambos do PSDB. Nesse caso, valeu o empenho da emissora e seu compromisso com a informação e os fatos, fazendo valer o jornalismo que deve ser feito.
 
As imagens mostradas, de pessoas chorando, gritando de dor, empilhadas em corredores e macas do PSM do Guamá - o único que funciona, já que o outro, da 14 de Março, pegou fogo em junho do ano passado em uma ala, mas até agora a tal obra de recuperação ainda não ficou pronta -, revelam a rotina de uma casa de horrores dita hospitalar. 

"Isso é um matadouro", brada a médica, exausta, aflita, estressada. Ela se queixa da falta de condições para atender os pacientes que chegam a toda hora. Talvez um matadouro seja melhor que o PSM do Guamá. Em alguns matadouros onde o gado é abatido, para a carne ficar macia, o gado ouve música clássica antes da morte. Morre, digamos assim, com mais dignidade. 
 
No PSM do Guamá, a dignidade parece ficção. Ela só existe no esforço de socorristas, atendentes e dos poucos médicos que se desdobram e se revezam em frenética labuta quase comparada ao trabalho degradante, ou escravo. 
 
E o que fazem os responsáveis por tudo isso? Será que se comovem com as dores dos que não conseguem ser atendidos, mesmo em cima de macas? Seja porque não há médicos suficientes, seja porque faltam medicamentos, instalações condignas? Será que nem o último suspiro das outras vítimas desse matadouro não repercute em seus espíritos. Bom, pelo jeito, eles dormem tranquilos e não têm crises de consciência. Elas que paguem um plano de saúde, devem pensar.
 
Até quando essa tortura, essa matança, esses matadouros financiados pelas próprias vítimas, hein, excelentíssimas autoridades?    
 
A TV Liberal mostrou esse homem chegando ao hospital. Mais um a penar lá dentro.

Sem meias palavras, a médica desabafa diante das câmeras: " é um matadouro".

Outro médico, este do Sindicato, explica a fartura no PS: falta tudo

O cenário é sempre este: pacientes amontados pelos corredores, mal atendidos
 

2 comentários:

  1. O povo de Belém deve muito gostar de sofrer as agruras nos hospitais pois não vejo nenhuma queixa aqui a respeito do caos no PSM fruto da reportagem da TV Maiorana. Cada povo tem o governo que merece.

    ResponderExcluir
  2. Povo sem vergonha esse de Belem, sofre calado não vai pras ruas protestar contra isso. Ao chegarem as eleiçõies esquecem tudo e votam novamente nos seus carrascos.

    ResponderExcluir