VER-O-FATO: CARRO PEGA FOGO E VIRA SUCATA NO CENTRO DE BELÉM

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

CARRO PEGA FOGO E VIRA SUCATA NO CENTRO DE BELÉM

Vivekananda, o dono do carro, e a acompanhante, saem do veículo sob fumaça.

O carro começa a pegar fogo, sob desespero do proprietário do veículo.

Um homem tenta ajudar, com extintor. O capô do carro não abriu.
Já não há nada mais a fazer. As chamas começam a se espalhar.

Aqui, o veículo, totalmente consumido pelo fogo. Prejuízo total.

Quando os bombeiros apareceram já era tarde. Restou esfriar o asfalto

Bons repórteres - desses que são perseguidos pela notícia, porque estão sempre na hora certa e no lugar certo - Mettran Senna e Jorge Nascimento mandaram para o Ver-o-Fato informação e fotos de um acidente por ambos documentado, em uma avenida movimentada de Belém, no começo da manhã de hoje. Eis o relato:

Seria uma manhã como outra qualquer, se por volta das 7:24 um veículo particular não tivesse sido completamente tomado por fogo em plena avenida Magalhães Barata no bairro de São Brás. O fato aconteceu em frente ao Museu Emílio Goeldi, entre a Travessa 9 de Janeiro e Avenida Alcindo Cacela.

O condutor do veículo GM/Zafira CD, José Vivekananda Amorim do Nascimento, trafegava normalmente pela avenida quando notou o surgimento de fumaça em seu interior. Em desespero, José Nascimento, que estava acompanhado de uma passageira, ficou sem ação, perplexo. Foi quando recebeu ajuda de populares, que após retirarem o extintor de incêndio do próprio veículo, não obtiveram êxito ao tentar destravar o capô para apagar as chamas. O fogo logo se alastrou por todo o veículo.

Preocupados com riscos de explosão, o sargento Barroso e o soldado Ronald, do 2º Batalhão de Policia Militar, chegaram na hora ao local, passando a orientar os curiosos que registravam imagens em aparelhos celulares para afastarem-se das chamas. Apesar das inúmeras tentativas, não foi possível apagar as chamas, que só foram controladas após a chegada do Corpo de Bombeiros Militar, que levou 15 minutos para começar o combate ao incêndio, que durou 4 minutos.

Segundo o tenente Lacerda, o fator determinante para que casos como esse não gerem maiores danos, é "agir rapidamente para tentar controlar o princípio de incêndio, pois ao evoluir as chamas mais intensamente, torna-se inviável uma ação sem o auxílio dos bombeiros".

O transito teve que ser bloqueado no perímetro do incêndio e só foi liberado cerca de 20 minutos depois do fogo controlado. O veículo de placas JUB-2041 precisou ser guinchado do local.

Reportagem: Mettran Senna. Fotos: Jorge Nascimento

2 comentários:

  1. Excelente reportagem estão de parabéns o jornalista Mettran senna e Jorge nascimento pela matéria sensacional!

    ResponderExcluir