sábado, 2 de janeiro de 2016

A FALA REVELADORA DO PROFETA DAS SEMENTES


Oswaldo Coimbra *

“O Senhor começou a falar no meu coração que só existe uma maneira de ser próspero. A benção da prosperidade não vem lá de cima. Aprenda isto, hoje. Perguntem: vem de onde? Abram a mão direita que vou mostrar. Se for homem, coloque a mão no bolso. Se for mulher, coloque na bolsa. Vem daí. A prosperidade está no seu bolso. Quanto você prova a Deus que tem coragem de tirar - daquilo que tem -, algo e entrega ao Reino, você recebe. Nesta noite, vou dar uma chance de você ser abençoado. (Pergunte:) Pastor, e se eu não receber nada? (Respondo:) Você sabe qual é o meu endereço e me conhece. Pode me chamar de mentiroso. Eu conheço pessoas, ao redor do país inteiro, que são abençoadas, dando os testemunhos do que ocorre aqui nos Gideões quando eu ministro as ofertas. Não basta crer.
 
Quem crê (aqui, agora) que Jesus pode dar uma casa, até o fim do ano? Um carro? (Que pode) Casar? Pagar as dívidas? Agora, aprendam: neste quesito, a fé, sem obras, é morta. Não basta crer. Neste quesito, você tem que obrar. Você tem que ofertar.
 
Abra a mão direita, toda a igreja, por favor. Coloque a mão no coração. Feche os olhos. (E ouça:) Pai, eu tenho ministrado isto em redor do mundo todo. E eu te conheço. Mais uma vez, eu te peço: toca no coração dos teus filhos que aqui estão. Tem gente aqui que está atravessando por um vento de humilhação e vergonha. Eu gostaria que o Senhor, agora, neste momento, mexesse no coração deles, para que todos entregassem uma semente. Que esta semente seja poderosa. Que esta semente gere (um lucro) não de 30 por 1, mas de 100 por 1. 

Que esta semente seja transformada na Porta do Emprego. Que esta semente seja transformada na chave do carro, da casa. Porque oferta não tem a ver com o Céu. Tem a ver com a Terra, Pai. (Lembre dos) Seus filhos que acreditarem na oração deste profeta, neste momento, e tiverem coragem de pegar dinheiro, cheque, cartão de crédito. Os que tiverem coragem de pegar suas joias e ofertarem nesta noite, neste culto. Lembrando, Senhor, que há dois mil anos, numa noite como esta, o Senhor entregou a maior oferta de todas: o Senhor foi aprisionado e morreu por nós. Nós somos devedores, eternamente. E eu convido agora esta igreja, Senhor, a ofertar. Porque esta oferta vai abrir a Porta dos Milagres para a vida deles, em nome de Jesus.
 
A igreja (agora) diz amém? Você crê? Então, pegue a sua semente, por favor. Eu não acredito que você vai ficar roendo as unhas, de braços cruzados. E mandando mensagem de SMS pelo telefone. (Dizendo:) Ah! Pastor, mas eu não sei o que vão fazer com o meu dinheiro! Esse problema não é seu. Esse problema é da Igreja. Se empregarem o dinheiro de modo errado, o problema é deles. Você fez o que a Bíblia manda. Você entregou na casa do Senhor. O restante é com o restante.
 
Agora, esta história - de que quem planta, quem oferta, não espera receber nada em troca - é conversa para boi dormir. Quem acredita que eu sou um profeta? Você acredita que, se eu profetizar, esta noite Deus pode fazer brotar, no fundo de sua casa, um poço de petróleo? Quem acredita nisto? Deixa eu ver. Os solteiros acreditam que, se eu orar, Jesus desencalha vocês, até o fim do ano? Quem acredita? Todo mundo acredita. Eu desafio os homens, agora. Olhem que coisa linda, o povo de Curitiba. Está todo mundo pegando sua oferta. E quem não tem, aí, pede emprestado. Sempre tem um mais generoso.
 
Eu queria, nesta noite em que o mundo comemora a Paixão de Cristo, que nós não perdêssemos para os outros segmentos do Cristianismo. Há pessoas que, neste dia, fazem de tudo. Entregam o que tem e o que não tem nas suas igrejas. Nós não podemos perder para eles, nesta noite.
 
(Me perguntem:) Pastor, posso dar um cheque pré-datado? Pode. Posso ofertar em cartão de crédito? Pode. (Dirigindo-se a seus auxiliares, indaga e explica:) Tem máquina de cartão de crédito aí? Onde estão as máquinas? É só para que alguém possa saber. Está ali, naquele cantinho, com aquele moço de cabelo partido parecendo Alain Delon.
 
Posso doar uma joia? Pode. (Tenta fazer humor:) Desde que não seja de sua sogra. Então, os que já têm em suas mãos uma semente fiquem de pé, por favor. E os que já estão de pé levantem sua semente para o Céu. Quero que as câmeras filmem isto. Vamos ver se o povo de Camboriú é um povo que honra um culto lindo como este, com suas premissas, com suas ofertas.
 
Os que estão sentados é porque não tem nada? Tem certeza? Então, os que estão em pé, olhem alguém ao seu lado e empreste algum dinheiro para ele. Só para seus irmãos não ficarem sentados. Ofertem duas vezes.
Levantem (as ofertas) bem alto. (E vamos rezar:). Pai, receba o perfume deste sacrifício, nesta noite. Oxalá, Senhor, que os empresários tenham entendido. E possam ofertar como empresários. Porque mil, cinco mil, dez mil reais não é dinheiro para eles. Não paga as dívidas deles. Mas pode abrir as Portas do Milagre”.
 
(Marcos Feliciano, presidente da Igreja Assembleia de Deus Catedral do Avivamento. Pregação para crentes de Camboriú, Santa Catarina, na Sexta Feira Santa de 2011. Ele já era, então, deputado federal. Em 2014, foi reeleito, por São Paulo, com quase 400 mil votos. Pouco antes, chegara a avaliar o impacto nas eleições para presidente da República que teria sua eventual candidatura àquele cargo, conforme o site Gospel Notícias, em 21/10/2013. Na Câmara Federal, ocupou a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minoria, graças ao apoio da bancada evangélica).

* Oswaldo Coimbra é jornalista e escritor

Nenhum comentário:

Postar um comentário