sábado, 19 de dezembro de 2015

VALE PODE RETARDAR CRESCIMENTO EM CANAÃ DOS CARAJÁS PARA FORÇAR ALTA NO PREÇO DO FERRO


O Morgan Stanley, empresa global de serviços financeiros com sede em Nova Iorque, diz em relatório, divulgado no último dia 14, que as principais mineradoras de minério de ferro do mundo podem conter a produção para estimular uma alta nos preços da commodity. 

Segundo o banco, a Vale pode retardar o ramp-up (crescimento) do projeto S11D, em Canaã dos Carajás, enquanto BHP Billiton e Rio Tinto devem segurar a expansão ou cortar a produção na Austrália.

Somente o projeto S11D deverá adicionar 90 milhões de toneladas de minério de qualidade imbatível por ano. Este minério, por não ter competidor, terá um valor mais elevado (prêmio) e irá deslocar a tonelagem equivalente do mercado mundial.

Além da qualidade, o minério S11D terá embutido um custo operacional muito baixo, próximo dos US$10 por tonelada, o que o torna imensamente competitivo. 

O projeto S11D, em Canaã dos Carajás, estaria no esquema para fazer preço subir

Nenhum comentário:

Postar um comentário