VER-O-FATO: SANTARÉM VAI DE CATAMARÃ; E BELÉM PATINA NO ARREMEDO DE BRT

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

SANTARÉM VAI DE CATAMARÃ; E BELÉM PATINA NO ARREMEDO DE BRT

Na "Pérola do Tapajós", as lanchas percorrem toda a região oeste. Em Belém, só promessa do Zenaldo

Em Santarém já operam modernas lanchas  tipo catamarã, desafogando o tráfego na cidade e proporcionando uma viagem agradável e altamente desestressante. Enquanto isso, em Belém, as ruas não cabem  mais carros, os passageiros e motoristas andam estressados e não se vislumbra outra solução de mobilidade urbana que não seja o ultrapassado BRT, cujas obras intermináveis  só tem contribuído para aumentar mais ainda o congestionamento dos principais corredores de tráfego já saturados. 

As vias de uma cidade são como as veias no corpo humano: quando elas entopem todo o organismo entra em colapso.  É o caso de Belém, em vias de comemorar 400 anos, vítima dos agentes da cultura do atraso, maus gestores e donos de ônibus, que teimam em ignorar o enorme potencial das abundantes águas que rodeiam a cidade como vias naturais de um transporte fluvial urbano, interligando Mosqueiro/Outeiro/Icoaraci/UFPa  e as ilhas no entorno de  Belém.

Há dois meses foi aberta  uma licitação para o que seria a primeira linha fluvial Icoaraci/Belém. Mas ninguém teve mais notícias sobre o seu "fechamento". Sabe-se apenas que os donos de ônibus não gostaram da ideia e fizeram chegar seu descontentamento a quem de direito. Então, a Semob  explicou que não "houve interessados" e a que a licitação foi tida como "deserta"....   

Por que não se rompe esse círculo vicioso da cultura do atraso e não se abre então  uma licitação com abrangência nacional e internacional para explorar as novas linhas com modernas lanchas tipo catamarã ? 

Francisco Sidou - jornalista

Nenhum comentário:

Postar um comentário