VER-O-FATO: Previsões do Santander dizem que PIB do Pará será o único a não cair. Videntes previram a tragédia de Barcarena?

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Previsões do Santander dizem que PIB do Pará será o único a não cair. Videntes previram a tragédia de Barcarena?

Os marqueteiros do governador Simão Jatene devem estar em festa, preparando alguma peça daquelas para o Grupo Liberal ( TV, rádio e jornal) matar no peito e fazer gol de letra. Financeira, é claro. Orly Bezerra, aliás, é muito bom nisso e saber explorar pesquisa desse tipo para levantar qualquer governo combalido.

O blog se refere a uma notícia que é manchete do jornal "O Globo" desta quinta-feira, 15. Diz o jornal que o banco  Santander fez projeções que indicam que a recessão já bate à porta de 27 estados. Resumo da ópera: o PIB de 26 estados cairá, menos o do Pará, que também não cairá, nem subirá, mantendo-se estável. Pernambuco, segundo a tal pesquisa do Santander, despencará seu PIB em 4%.

O banco espanhol deve ter, antes de realizar suas projeções, consultado algum manual de catástrofe, ou lido as Centúrias, de Nostradamus, o que dá no mesmo. O Pará estagnará no PIB, hoje em torno de 96 bilhões, porque sua economia depende da exportação de minérios e produtos agropecuários.

No que diz respeito à pecuária paraense, o blog acredita que os magos do banco Santander fizeram suas previsões antes do naufrágio do navio Haidar, com 5 mil bois vivos, no porto de Vila do Conde, em Barcarena, no dia 6 passado. O resultado desse naufrágio abalou a economia regional, deixando os empresários do setor pecuário pessimistas.

Até porque novos embarques de bois vivos estão proibidos pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) até que as praias e região de Barcarena fiquem livres da contaminação dos bois mortos na tragédia e do óleo diesel que vazou do navio naufragado. Nenhum boi também sairá do porto até que o navio seja retirado do fundo do rio Pará. 

Até o final do ano, segundo revelou ao Ver-o-Fato um empresário da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa) pelo menos 70 mil bois vivos deixarão de ser exportados para o Líbano, Egito e Venezuela, pelo porto de Vila do Conde. 

Será que os banqueiros-videntes do Santander previram isso? 


Um comentário: