quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Prefeito e presidente da CDP oferecem uma cesta básica para moradores atingidos por tragédia em Barcarena

O prefeito Carlos Vilaça e o presidente da Companhia Docas do Pará (CDP), Parsifal Pontes, segundo relato de lideres comunitários de Barcarena que participavam de uma reunião com a dupla de autoridades, fizeram uma "proposta revoltante e indecente" para as famílias que suportam diariamente o fedor e os prejuízos com a morte de 5 mil bois em Vila do Conde. Numa atitude que está sendo encarada como "humilhante" pelos comunitários, Vilaça e Pontes ofereceram uma cesta básica  mensalmente aos moradores. Vocês leram bem, é isso mesmo: uma mísera cesta básica. Um cala-boca. Que soou como tapa na cara de todos.

Como se não bastasse a contaminação dos rios e praias das quais elas tiram o próprio sustento, essas pessoas, na verdade mais de 10 mil famílias, ou seja, cerca de 40 mil pessoas - e aqui o blog Ver-o-Fato se penitencia pelo erro de ter dito, em postagem anterior, que apenas 2 mil reivindicam indenização de 4 salários mínimos por mês - ainda são humilhadas, como se estivessem pedindo um favor, uma caridade aos governos municipal e federal.

A resposta à tamanha falta de noção da realidade - e, porque não dizer, de habilidade política - foi o repúdio dos moradores de Vila do Conde, que se levantaram e deixaram sob protesto a reunião com Vilaça e Pontes, deixando-os falando sozinhos. "Eles estão debochando da gente e isso não vai ficar assim. Foram longe de demais, desrespeitaram o sofrimento do povo de Barcarena", reagiu um dos líderes comunitários. 

O mais interessante é que o prefeito, dias atrás, abriu os cofres da prefeitura para pagar, segundo dizem, mais de R$ 500 mil aos cantores Cláudia Leite e Lucas Lucco no Festival do Abacaxi, como se não houvesse crise alguma em Barcarena. Quer dizer, em vez de dar pão e água aos aflitos ribeirinhos e moradores de Vila do Conde, Vilaça oferece apenas o circo. "Vão ter a resposta que merecem", prometeu um dos líderes dos moradores revoltados.

O advogado Ismael Moraes, defensor de 27 associações de Barcarena, procurado pelo blog para comentar a insatisfação dos moradores com a proposta imoral de Vilaça e Pontes, disse que no momento estava muito ocupado em elaborar a ação de indenização em favor das comunidades e que em outra oportunidade opinaria sobre o ocorrido.  

Vilaça e Pontes, procurados pelo blog, não foram localizados para comentar a rejeição dos moradores à desrespeitosa proposta que fizeram. Os telefones da dupla estavam fora da área de serviço. De qualquer maneira, o blog abre espaço para que ambos se manifestem. 

Eles podem mandar suas respostas para o seguinte endereço eletrônico: carlosmendes49@gmail.com  

Praias contaminadas, odor insuportável. Uma cesta básica foi a oferta
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário