sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Juiz manda ouvir CDP e empresas sobre interdição do porto de Vila do Conde

O juiz federal Ruy Dias Filho, da 9ª Vara de Belém, que terá a competência de julgar o pedido de liminar do MPF, MP do Pará e Defensoria para que o porto de Vila do Conde seja fechado, até que o problema provocado pelo naufrágio do navio Haidar seja resolvido, decidiu hoje à tarde ainda não decidir. 

Ou melhor, mandou ouvir a Companhia Docas do Pará e as empresas Norte Trading e Minerva - esta, a dona dos bois - para que se manifestem no prazo de 24 horas  sobre os pedidos contidos na ação contra elas impetrada. Além da paralisação do porto, os MPs e a Defensoria cobram pagamento de 1 salário mínimo para cada família afetada pelo desastre ambiental.

Os advogados da CDP e das empresas foram notificados no final da tarde para que se manifestem sobre a ação. Feito isso, Ruy Dias julgará a liminar, concedendo ou não os pedidos. 

A Justiça Federal deu prazo de 24 horas para manifestação da CDP e empresas

2 comentários:

  1. Tem que liberar o seguro defeso pelo menos pra essa área afetada

    ResponderExcluir
  2. Verdade. Os pescadores estão prejudicados e o gpoverno precisa ver esse lado. E não apenas dar uma cestinha básica.

    ResponderExcluir